Uma tradição nos Estados Unidos, o Halloween (Dia das Bruxas ou Dia do Saci, como preferem alguns) aos poucos vai ganhando adeptos no Brasil. Cada vez mais surgem festas com o tema, junto com as fantasias, doces ou travessuras e as lendas urbanas que ganham força com a chegada do 31 de outubro.

Aproveitando a data, o Google fez um levantamento e apontou alguns endereços de São Paulo que ficaram conhecidos do grande público graças a episódios misteriosos e dignos de filme de terror.

Quem tem curiosidade e gosta de fazer turismo deste tipo pode fazer uma visita a um desses pontos virtualmente, sem sair de casa. Com o Maps e o Street View, é possível conferir vídeos e fotos feitas em colaboração com o Local Guides e fazer um tour.

Confira alguns lugares que podem ser encontrados no aplicativo:

1 – CAPELA DA SANTA CRUZ DOS ENFORCADOS
ENDEREÇO: PRAÇA DA LIBERDADE

Capela da Santa Cruz dos Enforcados

No ano de 1921, o cabo Francisco José das Chagas lutava por igualdade de salário e melhores condições para os soldados e, por isso, foi punido com morte por enforcamento. No dia da execução, a corda arrebentou duas vezes, o que foi encarado por muitos como um sinal de que ele deveria ser inocentado. Mesmo assim, Chaguinha (como era apelidado) faleceu. Ali foi construída uma capela, que, segundo relatos de quem acredita, receberia a visita do “fantasma” do soldado com frequência.

2 – CASTELINHO DA RUA APA
ENDEREÇO: RUA APA, 236, ESQUINA COM A AVENIDA SÃO JOÃO

Castelinho da Rua Apa

A antiga residência foi palco de uma tragédia familiar no dia 12 de maio de 1937. Após serem chamados ao local, policiais encontraram os corpos dos irmãos Álvaro e Armando Reis próximos ao de sua mãe, Maria Cândida. Existem diversos relatos de pessoas que, ao passar em frente ao local – que ficou abandonado – dizem ouvir as discussões da família. No Maps, é possível encontrar fotos em 360 graus da fachada da construção.

3 – TEATRO MUNICIPAL
ENDEREÇO: PRAÇA RAMOS DE AZEVEDO, SEM NÚMERO

Teatro MunicipalReprodução

Algumas pessoas acreditam que os espíritos de artistas que costumavam se apresentar no local ainda permanecem presos ao prédio. Alguns funcionários já relataram teclas de pianos sendo acionadas sozinhas, além de sons de óperas sendo cantadas e movimentos nos camarins, mesmo com o teatro vazio. O teatro também ganhou 4 passeios via Street View no Google Arts & Culture.

4 – CASA DA DONA YAYÁ
ENDEREÇO: RUA MAJOR DIOGO, 353

Casa da Dona YayáReprodução

Sebastiana de Melo Freire, mais conhecida como Yayá, foi diagnosticada com distúrbios mentais. Por isso, foi trancada em uma chácara pela família por mais de 40 anos. Yayá só podia ocupar dois cômodos do local, até a sua morte, em 1961.Até hoje, vizinhos dizem ouvir os gritos de socorro da senhora.

5 – FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
ENDEREÇO: LARGO SÃO FRANCISCO S/N° – SÉ

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo
Dizem que, em seus corredores e na biblioteca (a primeira pública de São Paulo), é possível escutar os mais notórios estudantes que lá passaram, discutindo sobre a política.

6 – CEMITÉRIO DA CONSOLAÇÃO
ENDEREÇO: R. DA CONSOLAÇÃO, 1660 – CONSOLAÇÃO

Cemitério da Consolação
Os cemitérios são grandes alegorias do Halloween. Em São Paulo, o cemitério da Consolação faz sucesso entre as pessoas, seja pelas histórias ou mesmo shows e peças de teatro que já foram exibidos no local. Há relatos da aparição de fantasmas de grandes personalidades da cultura paulistana e nacional no local.

EXTRA – EDIFÍCIO MARTINELLI
ENDEREÇO: RUA SÃO BENTO, AV. SÃO JOÃO E A RUA LIBERO BADARÓ

Fachada do Edifício Martinelli, em São PauloJose Cordeiro/SPTuris

Apesar de um começo luxuoso, o Edifício Martinelli passou por uma fase decadente – chegou a virar ocupação irregular antes de ser retomado pela prefeitura. Durante este período obscuro, o prédio, que chegou a ser o mais alto do Brasil, colecionou histórias que fazem jus a fama de assombrado. Um destas fala sobre o assassinato de um garoto judeu, que foi jogado no poço do elevador por um criminoso chamado de Meia-Noite. Outra, nos anos 1960, diz que cinco bandidos mataram uma garota em um dos andares.

Fonte: Metro