O Kiss Kruise, cruzeiro oficial do Kiss, foi realizado na última semana e trouxe, obviamente, uma programação dedicada à banda que promove a viagem. Entre os eventos realizados, um deles chamou a atenção por ser, no mínimo, inusitado: o vocalista e guitarrista Paul Stanley vestiu um pijama e promoveu o “Bedtime stories”, onde chama algumas crianças para o palco, conversa sobre o grupo e lê algumas histórias infantis.

O bate-papo girou em torno de diversos temas relacionados ao Kiss e, muitas vezes, os assuntos eram trazidos pelas próprias crianças. Os meninos, por exemplo, perguntaram o motivo pelo qual o baterista Peter Criss saiu da banda e comentaram sobre Eric Carr, também baterista, falecido em 1991.

Um fã registrou todo o momento e divulgou no YouTube. Diversos internautas receberam a novidade com certa estranheza, aproveitando para fazer algumas piadas.

“Isso é igualmente legal e estranho”, disse um fã. “As pessoas pagam por isso?”, questionou outro. “Há algo meio Michael Jackson nisso”, afirmou um terceiro, em menção às acusações de pedofilia que o Rei do Pop enfrentou em vida e após seu falecimento. “Paul tentou cantar uma canção de ninar para mim. Sua voz estava tão ruim que eu acabei ficando acordado por dias”, comentou mais um.

Kiss no Brasil

Durante o cruzeiro, o Kiss confirmou que ainda passará o ano de 2020 na estrada antes de se aposentar em 2021, com direito a uma turnê pelo Brasil. Quatro datas já foram confirmadas: em Porto Alegre, Curitiba, São Paulo e Uberlândia (MG).

Veja, abaixo, a agenda de shows do Kiss no Brasil:

12/05/2020 – Porto Alegre
14/05/2020 – Curitiba
16/05/2020 – São Paulo
19/05/2020 – Uberlândia

O show em São Paulo já estava confirmado há algum tempo e será no Allianz Parque. Já em Uberlândia, a apresentação acontecerá no estádio Parque do Sabiá. Os locais exatos em que as outras datas serão realizadas, bem como informações sobre ingressos, ainda não foram divulgados.

Kiss e o “segundo adeus”

Curiosamente, não é a primeira turnê de despedida do Kiss. Em 2000, após duas turnês com a reunida formação original – composta por Paul Stanley, Gene Simmons, Ace Frehley e Peter Criss -, a banda anunciou que encerraria suas atividades, mas, antes, realizariam a “Farewell Tour”. A excursão rodou pela América do Norte em 2000.

O contrato do baterista Peter Criss se encerrava após o último show de 2000, mas foram marcadas datas em 2001, na Ásia e na Austrália. Não foi possível renovar com Criss, então, Eric Singer assumiu o posto para essas datas específicas.

Em 2002, já sem Ace Frehley, mas com Peter Criss de volta, a banda anunciou que não se aposentaria. No ano seguinte, foi realizada a “World Domination Tour”, com o guitarrista Tommy Thayer no posto de Frehley.

O contrato de Peter Criss, novamente, não foi renovado e ele deixou o Kiss. Em 2004, o grupo voltou com Eric Singer, além de Tommy Thayer. Em entrevistas, os líderes e remanescentes, Paul Stanley e Gene Simmons, explicaram que não queriam encerrar a banda, apenas se “livrarem” de Ace Frehley e Criss.

 

Fonte: Whiplash