Accept: Restless and Wild

A banda fincou de vez as garras no mundo do metal com seu 4º Álbum

Accept: Restless and Wild

Em uma busca rápida aos álbuns lançados no ano de 1982, numa lista de 20 ou 30, veremos clássicos atemporais como Iron Maiden - The Number Of The Beast, Judas Priest - Screaming For Vengeance, Kiss - Creatures Of The Night, Van Halen - Diver Down, Whitesnake - Saints & Sinners entre outros. Porém, raramente encontraremos este que é um dos maiores discos de metal de todos os tempos.

Udo Dirkschneider nos vocais, Wolf Hoffmann nas guitarras (Herman Frank entrou na banda após a finalização da gravação, mas teve seu nome creditado), Peter Baltes no baixo e Stefan Kaufmann comandando as baquetas. Essa formação nos proporcionou um clássico reverenciado por toda uma geração de músicos, sendo influência para inúmeras bandas (como Helloween, Blind Guardian, Doro, Sodom, Rage e Grave Digger, falando só dos conterrâneos alemães), e chegando em todo o planeta (Metallica, Megadeth, Slayer, Pantera, Testament, Anthrax, Guns N' Roses, Mötley Crüe, Alice in Chains, Soundgarden, Overkill, Exodus, e Annihilator, citando só aqueles que assumiram essa inflência).

Apresentação devidamente feita, vamos aos fatos. A aceitação dos discos anteriores foi boa: Accept de 1979 (Lady Lou), I'm a Rebel de 1980 (I'm a Rebel, The King) e Breaker de 1981 (Breaker, Son of a Bitch), citando as sonzeiras que ainda fazem parte dos set lists de seus shows, que pavimentaram o caminho para o grande Restless and Wild..

Que a influência da NWOBHM e principalmente do Judas Priest são marcantes nos primeiros álbuns sempre foi muito clara. Restless and Wild mudou isso. De influenciados eles passam a influenciadores. O primeiro ponto a se ressaltar são as guitarras de Wolf Hoffman, pois soam mais distorcidas, rápidas e agressivas do que as guitarras tocadas até então. Em segundo lugar a cozinha, com a bateria de Kaufman é muito técnica, imprevisível e feroz, norteando o que viria a ser o Speed e o Thrash Metal e o baixo de Baltes, com marcações precisas e coesas. E, por último mas não menos importante, a voz gritante de Dirkschneider, que tornou-se um ícone não apenas para o álbum, mas para a discografia de Accept. É fato que o álbum não atingiu o sucesso comercial de seu sucessor, Balls to the Wall, Restless certamente fez com que esse sucesso acontecesse. 

É bem fácil recomendar para aqueles que querem viver os momentos dourados da música heavy metal, e isso vai além para aqueles que querem cavar mais sobre a gênese de muitos subgêneros do metal. Bora falar sobre as músicas.

Fast As A Shark - Incrivelmente rápida e pesada para o tempo (lembre-se que é pré speed e thrash metal); A introdução da faixa é um trecho de uma música tradicional infantil alemã intitulada Ein Heller und ein Batzen (A Farthing and a Penny) e sua polêmica e controvérsia não intencional, pois embora a canção datasse de 1830, era uma canção de marcha popular durante a era nazista e ainda mantinha essa conotação para muitos ouvintes. Polêmicas a parte, Udo solta seu grito infernal e monumental. A bateria de Stefan Kaufmann e os riffs ferozes de Wolf Hoffmann te colocam num estado de euforia que a única coisa a se pensar é: estou diante de um clássico. 

Restless and Wild - A faixa título é matadora. Galopante e feroz como nunca ouvido antes. Udo utiliza a gama de seus vocais, mudando de um rosnado baixo para tons altos e ferozes. Uma letra niilista sobre a inutilidade de tudo. Um ex.: "Todos os mundos que você viu são sem sentido, continue seguindo em frente, não há outra maneira". O paraíso para headbangers nesta faixa!

Ahead Of The Pack - Mais uma cacetada com Udo mostrando com seus vocais como é ser o líder de um bando. Uma combinação de um excelente vocalista, uma seção de ritmo de primeira linha, um guitarrista inventivo e uma produção impecável para uma faixa que não deixa o rítimo inicial cair.

Shake Your Heads - Essa faixa dá uma quebrada na pegada anterior. Não é uma música lenta, já que há o incentivo para que todos "sacudam suas cabeças, até que seus pescoços estejam quebrando, até que seus cérebros estejam queimando". Recomendo que você aceite o convite.

Neon Nights - Uma introdução acústica dá lugar a uma explosão afinada de guitarra com características doom e em seguida, para o riff principal. Os vocais de Udo parecem desesperados e torturados. A letra tráz uma observação sobre amantes, luxúria e uma solidão que esse mix pode trazer. A letra não é o principal atrativo da faixa. A base de guitarra é só um interlúdio que leva ao solo principal e é este o grande momento, toda a formação clássica de Wolf aflora de maneira bela e inventiva. A aproximação do final da faixa, a maneira como aceleram gradualmente é genial, mostrando que um início lento não significa um final moroso.

Get Ready - Provavelmente a faixa mais simples e NWOBHM. Vale pela performance do Udo e o refrão pegajoso, bem hard rock.

Demon’s Night - Que bateria infernal!! Das profundezas do inferno!! É realmente uma ode ao Heavy Metal!! Udo mostra uma performance vocal destruidora de garganta de causar inveja a Rob Halford. Wolf convoca um solo satânico para coroar uma faixa destruidora.

Flash Rockin’ Man - Um Riff ultra poderoso (inspirou Aces High do Iron?) com uma bateria batendo e batendo ao redor. A Letra é um olhar curioso para o nível superficial de fama para uma estrela do rock. Wolf aproveitando todas as oportunidades para alguns preenchimentos de guitarra ace. 

Don’t Go Steal My Soul Away - Mais um refrão fantástico onde Udo sobe o tom, cuspindo e gritando as palavras. Mais uma faixa do mais puro heavy metal!!

Princess Of The Dawn - Chegamos ao fim, mas se fosse o começo a percepção não mudaria sobre o álbum. Que puta clássico!!! Fast as a Shark pode ser uma das músicas de maior sucesso, mas Princess of the Dawn é especial. De uma forma hipnótica, mágica, a guitarra é o grande destaque aqui, tanto a base quanto o solo. Que riff!! Uma letra com pegada Dungeons and Dragons, cantada de forma misteriosa, sombria e discreta. A faixa meio que te suga e mais uma vez as guitarras estão sangrando maravilhosamente, Wolf tirando truques das mangas para dar ainda mais peso à faixa, e a maneira como ele a constrói de volta no riff principal é espetacular. Os vocais de apoio "princess of the dawn" no final são uma ótima ideia.


1    Fast As A Shark 
2    Restless And Wild 
3    Ahead Of The Pack 
4    Shake Your Heads 
5    Neon Nights 
6    Get Ready 
7    Demon’s Night 
8    Flash Rockin’ Man 
9    Don’t Go Steal My Soul Away 
10  Princess Of The Dawn
 

Por: Paulo Souza