Angel Dust: Bleed

Uma revolução sonora dentro da banda através deste álbum

Angel Dust: Bleed

O Angel Dust debutou no mundo do metal como uma banda de thrash em 1986 com Into The Dark Past e seguiu com To Dust You Will Decay, de 1988. Porém, antes que eles realmente estabelecessem o nome dentro da cena, a banda se separou.

No entanto, o Angel Dust estava realmente destinado ao reconhecimento. Após uma década desde seu segundo lançamento, a banda finalmente quebrou o silêncio com Border of Reality. Enquanto eles marcaram sua chegada de volta à cena do metal com esse lançamento, foi Bleed que estabeleceu o fato de que a banda era uma força a ser considerada. Bleed foi o quarto álbum deste quinteto da Alemanha e pode se afirmar com segurança que aqui é onde Angel Dust mostrou para o que veio.

Enquanto a cena do power metal estava ocupada com as mesmas letras estereotipadas antigas do tipo "somos soldados do metal" e apenas abusando dos teclados e contrabaixo, Bleed surge e deixa o mundo saber que uma combinação de Thrash, Prog e Power Metal pode ser doce e machucar o pescoço de qualquer headbanger, o que desafia a lógica.

As guitarras thrashy são dominantes ao longo do álbum, o que já os diferencia de bandas como Stratovarius e, ao mesmo tempo, o trabalho de teclado é igualmente delicado e bonito. Para completar, a energia vocal e a execução do ritmo impecável não passam despercebidas. A bateria de Dirk Assmuth não é nada tímida, fazendo-se presente de todas as formas necessárias; ou na pegada do Power Metal ou mais ritimada, funcionando sempre com o contrabaixo de Frank Banx como uma só coisa, e é assim que deve ser feito!

O trabalho de Assmuth em Bleed é realmente digno de elogios, mas eu modestamente prefiro seu trabalho pela intensidade no lançamento da banda em 2002 Of Human Bondage. Eu diria que a bateria deste álbum é melhor do que a de Bleed.

A faixa título já é motivo suficiente para a obrigatoriedade de se conhecer o Angel Dust. Pouquíssimas vezes no metal você vai encontrar um romance tão mágico de teclado e guitarra. Justo quando você acha que a introdução do piano não poderia ficar mais elegante e melódica, entra em ação um dos melhores riff's que eu já tive o prazer de ouvir.

Surrender? é outra faixa que se destaca do resto, pela pegada progressiva. São músicas como essa que te ensinam que não se deve pular para a próxima faixa depois de ouvir o primeiro refrão e como a maioria das músicas aqui geralmente chegam ao final quando Dirk Thurisch solta totalmente sua voz com seus gritos hipnóticos. Um excelente vocalista! Sua voz é pesada, mas ainda consegue bater as notas altas muito bem e ao mesmo tempo, não exagera ao ponto de aborrecer. No entanto, a voz pesada também é acompanhada por um sotaque alemão não tão pesado que é perceptível em alguns pontos aqui e ali.

Bleed, Surrender?, Black Rain e Addicted To Serenity são provavelmente as faixas mais cativantes do disco que continuarão a martelar em sua cabeça muito depois de você ter parado de tocar o disco; muito melódico e cativante, de fato, mas pesado pra cacete!

Vale destacar que há em todo o álbum uma atmosfera escura, melancólica, triste e nostálgica, o que pode não ser necessariamente uma coisa ruim se é isso que se procura. Os ritmos pulverizadores tem seus tons divertidos, mas é a maneira como eles acentuam os elementos temáticos e tons melódicos ao longo do álbum que os tornam a espinha dorsal sensacional do Angel Dust. As duas partes de "Follow Me" mostram ambos os extremos de suas habilidades, indo de balada suave a aspereza até um clímax harmonioso.

Superou tudo o que eles criaram até então, com apenas uma razão acima mencionada que não pode ser chamado de o auge do gênero. Junto com o álbum seguinte, Enlighten the Darkness (outro verdadeiro clássico), eles tinham o que parecia ser energia e criatividade imparáveis. Mas como todas as coisas boas, chegou ao fim. Seus últimos foram Border of Reality de 2001 e Of Human Bondage, de 2002. Uma pena...

Confira a lista de músicas deste grande disco!

1 Bleed 4:41
2 Black Rain 3:49
3 Never 6:03
4 Follow Me (Part 1) 4:32
5 Follow Me (Part 2) 6:16
6 Addicted to Serenity 5:07
7 Surrender? 7:08
8 Sanity 6:03
9 Liquid Angel 4:43

Por: Paulo Souza