Após ter celular furtado em SP, jovem tem R$ 143 mil de prejuízo em operações bancárias

Por meio de suas redes sociais, Bruno De Paula relata todo o drama enfrentado até o momento com a invasão de suas contas bancárias

Após ter celular furtado em SP, jovem tem R$ 143 mil de prejuízo em operações bancárias

Por: Terra

Em meio ao aumento de roubos e furtos de veículos e celulares no Estado de São Paulo, depois de três semanas em Barcelona, na Espanha, o agente de talentos Bruno De Paula, de 36 anos, estava se deslocando de táxi na Avenida Cruzeiro do Sul, no Santana, na zona norte paulistana, na noite da sexta-feira passada, 29, quando no trajeto, ao pegar o celular para agilizar um pedido de delivery antes de chegar em casa, teve o aparelho furtado pela janela de suas mãos.

 A partir daí, ele relata que, além do medo, teve suas contas bancárias invadidas.

"Peguei um taxi por ser mais rápido e deixei a janela meio aberta porque queria respirar depois do voo longo de máscara. Então, fui pedir um delivery antes de chegar. E aí que tudo mudou. No que é uma das sensações mais estranhas que já senti, o celular sumiu da minha mão. Gritei, olhei para trás e vi um vulto correndo para escuridão. Uma imagem que nunca vou esquecer. Foi horrível, mas é só um celular. Depois compro outro. Aí, percebi que estava destravado. Neste momento, eu surtei", disse ele.


Em seguida, ele começou a listar todas as empresas que precisaria entrar em contato, desde os bancos, operadora de celular até registrar um boletim de ocorrência. "Difícil explicar a sensação. São tantos coisas que você precisa resolver, que nem sabe por onde começar", afirmou.

No dia seguinte - mesmo após ter relatado o furto aos bancos - recebeu notificações bancárias. Entre domingo, 1.º, e segunda-feira, 2, teve o limite diário do Pix do Nubank elevado pelos criminosos para R$ 90 mil.


Por meio de suas redes sociais, Bruno relata todo o drama enfrentado até o momento. Ele pontuou que contatou os bancos Nubank e Banco do Brasil, assim como a operadora de celular Claro. Desde então, ele tem postado sua saga no seu perfil do Twitter.

"E é com isso que tenho lidado, desde então. A pior semana da minha vida. Não é só sobre a grana, é o desespero, o medo e o trauma. Toda vez que chega um e-mail, acho que estão tentando invadir. Acordo de hora em hora para olhar. Não tenho paz, não estou comendo nem dormindo. Só quero que acabe logo tudo isso", desabafou ele.

Em nota, o Nubank lamentou o ocorrido e informou que o caso já foi solucionado com o cliente.

Ao Estadão, o Banco do Brasil disse que acionou procedimentos de segurança logo após tomar conhecimento da ocorrência, com rápida recuperação de valores.

"O BB adota medidas de prevenção a fraudes e orienta seus clientes a nunca anotar senhas em aplicativos do celular - tais como bloco de notas ou aplicativos de mensagens -, sempre informar tempestivamente à instituição financeira movimentações suspeitas em sua conta", disse, em nota. Ainda segundo a instituição bancária, a comunicação rápida possibilita que as providências devidas possam ser efetuadas o mais breve possível.

O Mercado Pago informa que, assim que tomou conhecimento do caso pela manifestação do usuário em uma rede social, iniciou análise que identificou não haver anormalidade na conta dele após o relato público do furto do celular. "A empresa está à disposição do usuário para qualquer esclarecimento e permanece disponível para outras instituições financeiras citadas no relato, a fim de auxiliar em eventual tratativa sobre o pagamento de um boleto vinculado a uma conta no Mercado Pago.

Para evitar danos causados por terceiros, decorrentes de furto, roubo ou outras situações não autorizadas pelo usuário, a empresa sempre recomenda o uso de autenticação biométrica para validação de operações no aplicativo. Reforça ainda que, em caso de roubo, furto ou perda do celular, recomenda a imediata troca da senha de acesso da conta, que pode ser feita pelo site, bem como o contato com a operadora telefônica para bloqueio do aparelho e chip. O Mercado Pago mantém canais de atendimento, dentro e fora do aplicativo, para eventuais dúvidas e orientações."

Confira dicas para evitar golpes:
Mantenha os sistemas dos celulares ou notebooks sempre atualizados. Nunca usar o recurso de 'lembrar/salvar senha' em navegadores e sites
Escolha a opção de acionamento do bloqueio automático de tela mais rápido e desative notificações que são exibidas independentemente do bloqueio de tela inicial
Utilize os recursos de biometria, reconhecimento facial se os seus dispositivos possuem essa tecnologia e ativar e dupla autenticação em todos as suas contas de internet como e-mail, aplicativos, sites e etc
Anote o código do IMEI do celular em algum local seguro para bloquear sua linha e o seu aparelho em caso de roubo ou perda.
Habilite a função de rastreio do celular para conseguir apagar os dados do seu aparelho e localizá-lo remotamente, se necessário

 

Celular roubado: Saiba o que você deve fazer para bloquear o Pix e outros serviços

Desde que o Pix, ferramenta de pagamento instantâneo do Banco Central, se popularizou no País, os roubos e furtos de celular passaram a ser seguidos de uma "corrida contra o tempo" para que as vítimas bloqueiem os aplicativos de banco o quanto antes. Caso não consigam, quadrilhas têm se especializado em destravar o aparelho e invadir contas bancárias, multiplicando o prejuízo de quem já não tem mais o celular em mãos.

Uma vez que o celular é roubado, o recomendado é que as vítimas acionem o banco imediatamente para solicitar o bloqueio do aplicativo e das transferências. Isso pode ser feito por telefones listados na internet ou por outros canais oferecidos em sites das instituições financeiras, como chats para atendimento. Outro passo complementar é, em caso de roubo ou furto de aparelho celular, trocar as senhas de todos os aplicativos que possam ter informações sensíveis, como e-mail, e notificar a operadora de telefonia. Saiba mais aqui.

Dados divulgados recentemente pela Secretaria da Segurança mostram que os roubos aumentaram 7,4% no primeiro trimestre deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado. No total, foram cometidos mais de 59 mil roubos nas cidades paulistas. Aumento ainda mais vertiginoso aconteceu nos casos de furto: alta de 28% no período, com 132 mil registros.

Numa tentativa de frear a onda de furtos e roubos que tem assustado os moradores nas últimas semanas, o governo de São Paulo anunciou na quarta-feira, 4, que pretende quase dobrar o efetivo policial que atua diariamente na cidade de São Paulo. A quantidade de agentes em operação deve passar dos atuais 5 mil para 9.740, reforço que vai contar também com a participação da Prefeitura da capital paulista. A iniciativa está sendo chamada de Operação Sufoco.

Após ter celular furtado em SP, jovem tem R$ 143 mil de prejuízo em operações bancárias (terra.com.br)