Skip to Content

Category Archives: Notícias Variadas

Funko lança novos Pop! em apoio a pesquisas sobre câncer de mama

A nova coleção Funko Pop! foi feita em comemoração ao Mês da Conscientização do Câncer de Mama em outubro e beneficia uma instituição que realiza pesquisas sobre a doença.

Funko frequentemente está lançando novidades, sejam elas para qual linha for. Dessa vez, a fabricante apresenta novos colecionáveis para a linha Funko Pop! feitos em parceria com a DC. Contudo, há um motivo maior para esse lançamento: o apoio a Fundação de Pesquisa do Câncer de Mama de Nova York. A coleção traz 3 heróis e 1 vilã da DC.

Agora os apaixonados por Funko também podem garantir seus Pop! na versão rosa e branco, em apoio às pesquisas do câncer de mama, dos heróis Mulher-Maravilha, Batman e Superman e da vilã Arlequina. Sendo assim, a parceria da empresa com a DC visa beneficiar a instituição Breast Cancer Research Foundation, em Nova Iorque, que recebeu U$ 25 mil em doações. Além disso, a coleção foi feita em comemoração ao Mês da Conscientização do Câncer de Mama em outubro. Confira:

“A Funko apoia a Fundação de Pesquisa do Câncer de Mama com um novo Pop! Série DC. A missão da Fundação é prevenir e curar o câncer de mama, promovendo a pesquisa mais promissora do mundo. Para saber mais, leia nossa postagem no blog!”, diz o tweet da empresa.

Preço e disponibilidade – Novos Funko Pop!

Por fim, se você está interessado em adquirir algum colecionável dessa linha, pode adquirir os heróis Mulher-MaravilhaBatman e Superman e da vilã Arlequina na pré-venda pela Amazon com envio previsto para Setembro. Cada Funko Pop! custa U$ 10 (cerca de R$ 60 na cotação de hoje) + taxa de envio (algo em torno de U$ 30, ou seja, R$ 160).

Você pode conferir a publicação oficial no blog da Funko clicando aqui.

Com amor, GKPB. <3

Com quarentena, condomínios aumentam busca por mercadinho sem funcionários

Em dezembro do ano passado, a startup Onii inaugurou a primeira unidade de sua rede de mercados autônomos (o cliente faz tudo, não há nenhum funcionário) em um condomínio fechado de São Carlos (SP). Era um contêiner de 20 metros quadrados onde os moradores entram sozinhos, escolhem seus produtos e pagam com o celular por meio de um aplicativo. Não há profissionais no caixa. Na primeira semana, 206 moradores do local, que possui 240 residências, baixaram o app. O faturamento da loja hoje é de R$ 35 mil por mês.

A expectativa dos sócios era construir 200 lojas em 36 meses. Tudo mudou quando, no dia 11 de março, a Organização Mundial da Saúde decretou a pandemia do novo coronavírus. Com a quarentena, o mercado de prédios e condomínios explodiu, resume Tom Ricetti, um dos quatro sócios da Onii, que possui hoje 31 pontos de venda e outros 38 em fase de implementação. “Hoje esperamos ter 90 unidades até julho e pelo menos 200 até o fim do ano.” A expectativa é que o faturamento supere R$ 20 milhões já no primeiro ano Interior de um dos mini mercados Imagem: Divulgação Nos equipamentos da startup, além de compras, há modelos que permitem retirar encomendas, como alimentos, remédios e até roupa lavada em lockers específicos.

Grande procura

“Nunca trabalhei tanto na vida”, conta Ricetti. “A gente nunca imaginou que ia ser essa loucura. Na quarentena, com todo mundo em casa, recebemos 50, 60 ligações de condomínios perguntando quanto custa a instalação.” Além da menor circulação das pessoas pelos mercados tradicionais da cidade, uma das razões da procura é a queda da arrecadação dos condomínios por conta da crise, que provoca inadimplência e leva as administradoras a reforçar o caixa com mais ofertas de serviços. Atualmente, conta Ricetti, empresas também mostram interesse nos modelos, que podem servir como extensão de almoxarifados e box para guardar EPI (Equipamentos de proteção individual), onde funcionários podem pegar os utensílios e o controle é feito pela leitura do QR Code.

Loja autônoma em aeroporto

“Também vamos inaugurar a primeira loja autônoma em um aeroporto. Assinamos um contrato para colocar uma Onii em Congonhas, depois do raio-X. Nossa programação era abrir em maio mas, com a quarentena, os planos foram alterados.” A invenção, segundo ele, é inédita no mundo.

“Somos a democratização da Amazon Go”, garante o empresário, em referência à loja autônoma da gigante americana de tecnologia. “Mas lá a inteligência está toda na loja, com sensores, câmeras, balanças e etiquetas. Isso encarece”. Para fazer compras na versão brasileira, o cliente faz o cadastro no app, informa seu nome, telefone e RG, e pendura um cartão.

Celular do cliente vira scanner

Quando entra na loja, o geolocalizador mostra em qual unidade ele está e faz o “push” para uma nuvem. Na sequência, acontece uma microtransação de um centavo. “Se estiver tudo ok, a loja devolve um QR Code e, se der match, a porta é aberta”, explica. Dentro do box, o aparelho celular vira um scanner capaz de fazer a leitura do código de barra. O produto vai para o carrinho, o pagamento é feito e pronto. O menu da loja é decidido pelo condomínio. “Se querem vinho francês de R$ 500 ou corote, não tem problema. O condomínio decide o que quer vender. Só precisa de código de barra”. Na Onii, cada parceiro licenciado cuida da operação de compra, reposição, limpeza e manutenção. “E ele só pode vender os produtos cadastrados no app. Quando ele quer colocar um novo produto ou marca, fazemos a autorização e o cadastro e, para esses produtos, geramos um código de barras.”.

Licenciamento do serviço custa R$ 70 mil

O investimento para quem quer licenciar uma unidade box é de cerca de R$ 70 mil. Outra opção é alugar o contêiner e os equipamentos, como freezers, geladeiras e gôndolas, por até R$ 1.500 mensais. Em outro modelo, a Station, que atende empreendimentos menores, geralmente verticais, o custo do aluguel é de até R$ 500 por mês. Do faturamento da loja, 10% ficam com a startup, já incluída a taxa do cartão de crédito. “Os 90% vão direto para a conta do licenciado. É diferente de uma franquia que recebe e depois paga os royalties.” A startup montou parcerias com fornecedores de pães, bolos, pães de queijos e produtos orgânicos e artesanais — alguns moram nos próprios condomínios. Por conta da quarentena, a regra para a entrada no modelo box ficou mais rígida. Só pode uma pessoa por vez.

QR Code já é realidade no país

Para Felipe Brandão, secretário-executivo da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, lojas autônomas e compras por app/QR Code já eram uma realidade no país. “Mas, diante do complexo e volátil cenário da pandemia do novo coronavírus, notamos uma aceleração dessa tendência.” Alexandre Pinto, diretor de Novos Negócios e Inovação da Matera, empresa que desenvolve tecnologia para o mercado financeiro, fintechs e gestão de riscos, lembra que o conceito de lojas autônomas é antigo e nem todas têm a sofisticação da Amazon Go, onde os tetos das lojas são reforçados para comportar tantas câmeras. “Lá não tem que escanear. Você põe na sacola e pronto. Vai na linha da praticidade”. Na China, conta ele, esses mercados autônomos ganharam tração em bairros e cidades afastadas e sem grandes opções de supermercados. Funcionam, porém, mais como complemento às redes de distribuição do que como alternativas. No Brasil, ele cita como exemplo as lojas autônomas da rede Zaitt, de ruas. Ele afirma que a pandemia é um evento que mudou os hábitos de consumo, mas que tem dúvidas se estas mudanças serão perenes. “Passando a fase aguda, é preciso saber o que é específico deste momento.” O especialista diz que, em um contexto de lockdown, muitos condomínios devem procurar equipamentos do tipo. Ao fim da pandemia, ele afirma que outros fatores entram na conta do cliente, a começar pelo preço das mercadorias. “Tem pessoas que gostam de supermercados, onde o sortimento de produtos é grande e o preço geralmente é menor.”.

Futuro terá soluções variadas

Alexandre Pinto afirma que as soluções mudam conforme a localidade. Algumas funcionam em entre grandes centros; outras, em pequenas cidades. “Nas cidades maiores as pessoas gastam mais tempo no trânsito. O ritmo é diferente.” A tendência, aposta ele, é que a modalidade seja uma das muitas opções de negócios que ganharam força na pandemia, inclusive as entregas. “É uma competição complicada. Hoje você pode escolher um vinho e a pessoa te entrega em casa. Se for duas da manhã, você desce e compra. Vai ser uma das muitas opções.”.

Hackers usam apps de videoconferência falsos para roubar dados

Marcas como Zoom, Skype e Slack são usadas por golpistas que querem se aproveitar da popularidade dos serviços durante a pandemia do coronavírus

A pandemia do coronavírus levou muitos trabalhadores ao home office, aumentando a demanda por aplicativos de videoconferência. Hackers, de olho na popularidade desses serviços, começaram a criar apps falsos com o objetivo de roubar dados e até dinheiro das vítimas.

Um estudo feito pelo dfndr lab, da empresa de segurança digital PSafe, identificou uma série de golpes que usam aplicativos falsos de chamadas por vídeo. De janeiro para cá, mais de 44 mil pessoas foram vítimas desses ataques, de acordo com os pesquisadores.

Apps como Zoom, Skype, Slack e ofertas do Google são as principais iscas dos cibercriminosos, que usam indevidamente a marca de serviços populares com o objetivo de enganar pessoas. Quem acaba instalando um aplicativo falso pode tanto ter credenciais vazadas, como até mesmo informações pessoais e bancárias.

“Trabalhar em casa acaba aumentando os riscos de comprometimento e vazamento de dados corporativos. Quando uma pessoa utiliza o Wi-Fi de casa, por exemplo, ela não tem o mesmo nível de segurança que teria em uma rede corporativa”, explica Emilio Simoni, diretor do dfndr lab, destacando que o uso de dispositivos pessoais para acessar dados confidenciais do trabalho também representam riscos, já que golpistas podem mirar informações sensíveis corporativas em seus ataques.

Imagem divulgada pelo dfndr lab mostra o golpe dos cibercriminosos – Divulgação/PSafe

“No pior dos cenários, as empresas que instalam e fazem uso desses app falsos podem se tornar alvo de ataques de ransomware, que é quando o cibercriminoso invade e sequestra seu dispositivo e exige o pagamento de uma quantia para que não vaze dados confidenciais”, alerta Simoni.

Como se manter seguro

Os pesquisadores do dfndr lab dão algumas dicas de como garantir que seus dados não sejam roubados. Para começar, é fundamental que empresas contem com soluções contra vazamento de dados. Além disso, eles recomendam que usuários confiram sites oficiais para verificar se o download que está sendo feito é legítimo.

Outra medida de segurança – que deve ser considerada uma das mais básicas – é evitar repetir senhas em diferentes serviços – por mais que seja bastante inconveniente ter que lembrar de vários passwords diferentes, o uso repetido de uma mesma senha aumenta a chance de hackers ganharam acesso indevido às suas contas.

JOE PORCARO, VETERANO BATERISTA DE JAZZ E PAI TRÊS MÚSICOS DO TOTO, MORRE AOS 90 ANOS

“A família Porcaro está com o coração partido ao anunciar a morte de nosso amado patriarca, Joe Porcaro”, escreveu Steve Porcaro no Facebook. “Cercado por sua esposa Eileen e sua família, Joe morreu tranqüilamente em 6 de julho às 23h37.”

Nascido no dia 29 de abril de 1930, Joe Porcaro começou a tocar bateria aos cinco anos de idade. Ele chegou a se apresentar ao lado de lendas do jazz como Chet Baker. A versatilidade de Porcaro com vários instrumentos de percussão levou a um período prolífico como músico de estúdio, muitas vezes trabalhando como parte de orquestras contratadas para seriados de TV como “Missão Impossível”, “Hawaii Five-0” e “Daktari”. Ele também trabalhou com músicos e vocalistas de jazz como Sarah Vaughan, Frank Sinatra, Quincy Jones e Stan Getz, além de ganhar muitos créditos em álbuns do pop e rock, incluindo Rolling Stones, Monkees, Glen Campbell e Joe Cocker.

Seus filhos seguiram sua carreira, com Jeff também assumindo a bateria, Steve no teclado e Mike no baixo. Em 1977, os três ajudaram a fundar o Toto. Os filhos de Porcaro frequentemente levavam o pai para o estúdio para contribuir com seus discos, incluindo “Africa”, onde ele tocava marimba e chegou a ser corrigido por um de seus filhos.

“Depois de mais ou menos 60 segundos, Jeff parou e disse: ‘Pai, espere, você está correndo’”, lembrava Joe Porcaro.

Na noite em que o Toto ganhou seis troféus no Grammy de 1983 pelo álbum “IV”, Joe fez parte da cerimônia, tocando na orquestra.

ANIMAÇÃO BR “TAINÁ E OS GUARDIÕES DA AMAZÔNIA” VENCE PRÊMIO NA ESPANHA

Recebemos a seguinte informação:

A série “Tainá e os Guardiões da Amazônia”, coprodução entre os estúdios Sincrocine Produções (RJ), Hype (RS) e o grupo ViacomCBS, foi escolhida a Melhor Série de Animação na 3ª edição dos Prêmios Quirino. Voltado à animação ibero-americana e sediado em Santa Cruz de Tenerife, na Espanha, o evento foi realizado em formato online este ano. Sua cerimônia de premiação ocorreu no último sábado, dia 27 de junho. Foram inscritos 219 trabalhos de 17 países participantes, num total de 40 horas de animação. Atualmente, “Tainá” pode ser assistida no catálogo da Netflix em toda a América Latina, no canal por assinatura Nick Jr e na Band.

“Esse reconhecimento para nós é muito importante, e espero que ajude a passar uma mensagem sobre o cuidado com a natureza nesta crise do meio ambiente que estamos passando atualmente”, disse o produtor executivo do estúdio HypeGabriel Garcia, durante a entrega dos prêmios transmitida pela internet. Ele prestou homenagem ao cineasta Pedro Rovai (1938-2018), criador da personagem junto com Virginia Limberger. Também foram destaques desta edição, o longa-metragem espanhol “Klaus” e o curta colombiano “El Párajocubo”, premiados nas respectivas categorias.

Adaptação animada da trilogia de sucesso do cinema brasileiro, “Tainá e os Guardiões da Amazônia” é direcionada ao público pré-escolar. Com 26 episódios de 11 minutos, mostra as aventuras da indiazinha Tainá e seus amigos animais. A série tem direção de André Forni e produção e Carolina Fregatti e produção executiva de Marcela Baptista. Destinado a crianças de três a seis anos, “Tainá” usa personagens brasileiros para estimular nas crianças o respeito à diversidade, às diferenças culturais, com uma mensagem de amizade e ecologia.

Sobre Sincrocine

A Sincrocine é uma produtora audiovisual independente que teve decisiva contribuição na conquista de público para os produtos nacionais. Em seus quase 40 anos de atuação, tem acumulado milhões de espectadores no Brasil e no exterior. Em seu extenso currículo constam 23 filmes de longas-metragens, 17 curtas e 11 peças teatrais. Faz parte desse acervo a premiada trilogia de filmes infantis “Tainá” e as comédias românticas da franquia “Qualquer Gato Vira-Lata”. A empresa tem tido atuação relevante igualmente na esfera teatral, como produtora de espetáculos memoráveis, como “Piaf”, o grande sucesso de Bibi Ferreira. Atua em conjunto com a Tietê Produções Cinematográficas.

Sobre Hype

Hype é um estúdio de animação de Porto Alegre, dedicado a produção de filmes e séries. O estúdio é responsável pelo premiado curta-metragem “Ed” (2013). Com o sucesso da série “Dino Aventuras” (2015), produzido pela Danone-Cinefilm e transmitida pelos canais Disney Junior e Disney Channels, o estúdio decidiu ingressar no mercado de propriedade intelectual criando o Hype Lab para desenvolver marcas e produtos para comercialização, plataformas multimídia, direitos e licenciamento. Outro projeto de sucesso produzido pelo estúdio é “Tainá e os Guardiões da Amazônia” (2018), série baseada no filme brasileiro Tainá e transmitida pela NickelodeonNetflix e Band. Em 2020, estreou no Canal Disney Junior Brasil, a série de animação “Viola e Tambor”, em coprodução com o estúdio chileno Punkrobot.

Sobre ViacomCBS

ViacomCBS International Media Networks (VIMN) Americas é proprietária e opera um portfólio de diversas marcas de entretenimento que inclui MTVNickelodeonNick Jr.Comedy CentralParamount ChannelPorta dos FundosTelefeVH1, e seus respectivos canais em HD na América Latina (incluindo o Brasil). O portfólio da companhia inclui ainda a marca Tr3s, nos Estados Unidos, voltada a uma ampla audiência de norte-americanos hispânicos e os acordos de programação da VIMN no Canadá com a Corus Entertainment para Nickelodeon e Bell Media para MTV e Comedy Central. A VIMN também alcança um crescente número de consumidores conectados digitalmente por meio de seus múltiplos websites e sua vasta oferta de aplicativos móveis que incluem MTV PlayComedy Central Play e Nick Play. Além disso, oferece produtos de conteúdo móvel diretamente ao consumidor como Noggin para crianças em idade pré-escolar e BET Play aos fãs da cultura afro-americana.

JETHRO TULL LANÇA DESINFETANTE PARA AJUDAR A INSTITUIÇÃO HELPING THE HEROES

O Jethro Tull lançou um desinfetante para as mãos que está ajudando a arrecadar dinheiro nos EUA para a instituição de caridade Helping The Heroes.

Aprovado pelo próprio Ian Anderson, o resultado das vendas ajudará pequenas empresas, veteranos, socorristas, profissionais de saúde e outras pessoas necessitadas através de várias instituições de caridade, incluindo o Center for Applied Innovation, de propriedade dos veteranos com deficiência do serviço de Virgínia (EUA), e a campanha sem fins lucrativos Helping The Heroes.

Atualmente, o desinfetante está disponível apenas nos Estados Unidos, já que os regulamentos atuais da DHL, FEDEX, UPS e USPS não permitem o envio de desinfetante manual para clientes fora dos Estados Unidos.

O desinfetante começa a ser entregue no dia 20 de julho. As garrafas custam US $ 9, com um pacote de quatro garrafas custando US $ 32 e um pacote de seis garrafas ao preço de US $ 48.

Fonte: Louder

FRANKIE BANALI, BATERISTA DO QUIET RIOT, É INTERNADO NA CALIFÓRNIA

O baterista, que está lutando contra o câncer de pâncreas no estágio quatro, foi internado no Centro Médico Kaiser Permanente em Woodland Hills, Califórnia, durante a noite da última segunda, dia 15.

Banali postou uma foto sua em uma cama de hospital, dizendo: “Acabei de entrar na sala de emergência em Kaiser. Me ocorreu que isso é como a Disneylândia, exceto que as filas são mais curtas e os passeios são dolorosamente lentos – e o preço da entrada … OMG! ”

Não foram disponibilizados mais detalhes sobre a condição de Banali.

O diagnóstico de câncer de Banali foi tornado público em outubro do ano passado, com o baterista dizendo que está combatendo a doença desde abril de 2019.

“O caminho a seguir não será fácil, mas o câncer chegou neste nível e pretendo continuar lutando”.

Em abril deste ano, seus amigos Peter e Eden Beckett organizaram uma campanha do GoFundMe para cobrir as despesas médicas de Banali.

O fundo ainda está aberto, com a meta de levantar 40 mil dólares.

Banali reformulou o Quiet Riot em 2010, após a morte do vocalista Kevin DuBrow, em 2007.

Apesar disso, Banali (que também é empresário da banda) se disse confiante e revelou que já viu melhoras após iniciar o tratamento. Em sua carta, ele ainda se desculpa por ter faltado a alguns shows da banda, que continua na ativa.

Leia na íntegra abaixo:

Eu só quero que todos os meus amigos e fãs saibam o que está acontecendo comigo e por que, infelizmente, perdi alguns shows este ano. Desde 17 de abril tenho lutado contra o câncer de pâncreas no estágio quatro.

O prognóstico original foi muito assustador. Eu tive uma batalha bastante difícil e demorou muito, mas sou grato ao dizer que, depois de várias sessões de quimioterapia e outros tratamentos, estou me recuperando. O caminho a seguir não será fácil, mas o câncer encontrou um lutador e pretendo continuar lutando. Eu gostaria de poder estar com todos vocês em todas as apresentações do Quiet Riot, já que esta é a primeira vez em 38 anos que eu perco um show.

Por favor, saibam que se eu pudesse andar de avião e fazer um show, nada mais teria me parado. Estou me sentindo muito melhor e mais forte agora.

Pretendo tocar no show do Quiet Riot no Whisky A Go Go no sábado, 26 de outubro e continuar em turnê em 2020 com o Quiet Riot, então espero vê-los por lá. Agradeço a todos os fãs que apoiam o Quiet Riot nos shows e espero que todos continuem nos apoiando, além de me manter em seus pensamentos e orações.

Paz e Amor, Frankie Banali

Melhoras!

San Diego Comic-Con acontecerá nas mesmas datas com formato online

Evento presencial foi cancelado por causa da pandemia de coronavírus

Coca-Cola anuncia pausa em suas campanhas publicitárias no Brasil

De acordo com a Coca-Cola, todas as campanhas publicitárias serão pausadas e 120 milhões de dólares serão doados para apoiar a luta contra o Coronavírus.

Parece mentira, mas a Coca-Cola, um dos maiores anunciantes do mundo, acaba de anunciar que vai pausar todas as campanhas publicitárias de todas as suas maras. De acordo com a companhia, o foco neste momento será garantir a segurança e o bem-estar dos associados e comunidades.

A Coca-Cola ainda revela que vai doar mais de 120 milhões de dólares em apoio aos esforços de prevenção e reação à COVID-19 nas comunidades afetadas globalmente. Não ficou claro qual porcentagem desse valor será disponibilizada ao Brasil.

A companhia afirma que a prioridade agora será contribuir com bebidas e itens necessários aos trabalhadores da saúde, apoio a comunidades vulneráveis e amplificação das mensagens de prevenção. “Estamos fazendo isso porque é a coisa certa a ser feita. E também porque trabalhando juntos podemos fazer a diferença.”, finalizou o comunicado da empresa publicado no Instagram. Veja:

Fãs de Sylvester Stallone se emocionam com retorno de Rocky

Com uma carreira de quase 50 anos em Hollywood, Sylvester Stallone se tornou um dos astros de ação mais conhecidos do mundo, interpretando personagens icônicos como Rambo e Rocky.

Para fãs de Rocky, o boxeador mais icônico dos anos 80, uma grande novidade foi revelada recentemente! Um documentário sobre o clássico personagem está sendo produzido e deve estrear em breve.

“40 Years of Rocky: The Birth of a Classic” (40 Anos de Rocky: O Nascimento de um Clássico) é um projeto de Derek Wayne Johnson, e pretende apresentar ao público detalhes interessante sobre o personagem de Stallone.

Confira abaixo tudo sobre a nova produção!

Homenagem

O documentário sobre Rocky será narrado por nada mais nada menos que o próprio Sylvester Stallone. De acordo com Derek Wayne Johnson, o filme não vai apenas focar no personagem Rocky, mas também na vida de Stallone e as experiências íntimas que aconteceram nos bastidores.

Johnson afirmou também que está “extremamente orgulhoso” com o resultado, e que o público pode esperar cenas inéditas e filmagens nunca mostradas de Rocky.

As cenas do documentário misturam cenas caseiras do diretor John Avildsen e clipes dos bastidores do filme de 1976. Cenas dos ensaios de Sylvester Stallone também devem ser incluídas.

“Temos grandes expectativas para o novo documentário do Rocky, e fãs devem ficar animados para entrar nessa verdadeira máquina do tempo, de volta para 1976. O próprio Stallone ficou muito emocionado em fazer parte dessa experiência”, afirmou Derek Wayne Johnson.

Sylvester Stallone também elogiou o documentário, descrevendo-o como “muito atual”.

Começando como um filme de baixo orçamento, se tornando um hit nas bilheterias e faturando 3 prêmios no Oscar, Rocky se tornou uma verdadeira sensação.

Sylvester Stallone descreve o personagem como “um amigo de verdade, sempre dando seu apoio quando eu precisava”.

40 Years of Rocky: The Birth of a Classic será lançado em 9 de junho no iTunes, Apple TV e Amazon.

title_goes_here