Skip to Content

Category Archives: Rock pelo mundo

GUNS N’ROSES LANÇARÁ COLETÂNEA “GREATEST HITS” PELA 1ª VEZ EM VINIL

Através de suas redes sociais, o Guns N’ Roses informou que lançará no dia 25 de setembro a coletânea “Greatest Hits” pela primeira vez no formato LP, em um conjunto de vinil duplo de 180 gramas, nas cores preto e prata, além de um formato de imagem digital disponível exclusivamente através da loja oficial da banda.

Esta edição em LP também contará com o single “Shadow Of Your Love”, originalmente gravado em dezembro de 1986 e que fez sua estreia no box set de 2018 Appetite For Destruction.

Em 2004, o Guns N’ Roses já havia disponibizado esta compilação “Greatest Hits” em CD e em versão digital.

Mais informações, confira aqui.

 

 

URIAH HEEP GRAVARÁ SEU 26º ÁLBUM EM FEVEREIRO

O veterano grupo Uriah Heep agendou para fevereiro próximo o início das gravações de seu 26º álbum. Foi isso que o guitarrista Mick Box e o baixista Davey Rimmer confirmaram nesta semana ao podcast Sea of Tranquility.

“Com essa parada por conta do Coronavírus, pudemos pensar com calma no próximo disco”, disse Davey Rimmer. “Living in a Dream [2018] foi muito bom de fazer, foi uma grande experiência. Agora estou louco para já gravar o próximo”.

“A pré-produção acontece em janeiro e a gravação será em fevereiro”, completou Mick Box. “A data de lançamento vai depender da gravadora, mas teremos um novo álbum em breve, com certeza”.

Além de Mick (único remanescente da formação original da banda) e Davey, o grupo conta também com Phil Lanzon (teclado), Bernie Shaw (vocal) e Russell Gilbrook (bateria).

Vale lembrar que no início deste ano o tecladista Phil Lanzon precisou abandonar temporariamente a turnê do Uriah Heep por conta da morte de seu filho mais velho Matthew Lanzon, um pouco antes do Natal de 2019, vítima de câncer. Para os shows que o Uriah Heep fez no início do ano pela Europa, o tecladista Don Airey, do Deep Purple, o substituiu.

“Tenho amizade com meus parceiros do Uriah Heep há muitos anos”, disse Don Airey na ocasião. “Quando eu soube da tragédia que se abateu sobre meu grande amigo Phil Lanzon, me dispus a ajudar a banda nesses shows”.

Fonte: Rock Brigade

ÚLTIMO SHOW DE AXL ROSE COM AC/DC É DISPONIBILIZADO NO YOUTUBE

O último show do AC/DC com o vocalista Axl Rose, do Guns N’ Roses, acaba de chegar ao YouTube. A performance foi realizada em 20 de setembro de 2016, no Wells Fargo Center, na Filadélfia, Pensilvânia.

O vídeo, editado com várias câmeras, foi disponibilizado por fãs e traz mais de duas horas de duração. O repertório conta com 25 clássicos do grupo australiano, entre eles, “Highway To Hell”, “Back In Black”, “Thunderstruck” e “For Those About To Rock (We Salute You)”. Assista abaixo

A apresentação fez parte do encerramento da turnê Rock or Bust, que foi adiada após o vocalista Brian Johnson ser afastado do AC/DC por problemas de audição.

AC/DC: por que a música “Back in Black” foi um complicado tributo a Bon Scott

O AC/DC tem lançado, em seu canal no YouTube, uma série de vídeos antigos com histórias e comentários sobre as músicas do álbum “Back in Black”. As filmagens estão sendo liberadas para celebrar os 40 anos de lançamento do disco, que chegou a público em 25 de julho de 1980.

Em uma das antigas filmagens, o vocalista Brian Johnson e os guitarristas Angus e Malcolm Young falam sobre a música “Back in Black”, que deu o título do álbum. O trio reflete por que a proposta da canção – que buscava fazer uma homenagem ao cantor Bon Scott, falecido em fevereiro daquele ano e substituído por Johnson – era complicada e desafiadora.

“Lembro que a música ‘Back in Black’ foi particularmente difícil, pois os caras diziam: ‘ouça, queremos que essa música seja em memória de Bon, mas não queremos que seja triste ou piegas, queremos que seja algo bom, uma canção positiva’. Foi difícil, mas acho que conseguimos. É um pouco lenta, mas tem um grande riff. Foi complicada”, explica Brian Johnson, conforme transcrito pelo NME.

publicidade
publicidade
publicidade

AC/DC: por que a música “Back in Black” foi um complicado tributo a Bon Scott

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda
Enviar Correções  

AC/DC tem lançado, em seu canal no YouTube, uma série de vídeos antigos com histórias e comentários sobre as músicas do álbum “Back in Black”. As filmagens estão sendo liberadas para celebrar os 40 anos de lançamento do disco, que chegou a público em 25 de julho de 1980.

​AC/DC: Dee Snider diz que próximo álbum foi adiado por conta da pandemia

Loudwire: as 10 melhores músicas do Slipknot segundo o site

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em uma das antigas filmagens, o vocalista Brian Johnson e os guitarristas Angus e Malcolm Young falam sobre a música “Back in Black”, que deu o título do álbum. O trio reflete por que a proposta da canção – que buscava fazer uma homenagem ao cantor Bon Scott, falecido em fevereiro daquele ano e substituído por Johnson – era complicada e desafiadora.

“Lembro que a música ‘Back in Black’ foi particularmente difícil, pois os caras diziam: ‘ouça, queremos que essa música seja em memória de Bon, mas não queremos que seja triste ou piegas, queremos que seja algo bom, uma canção positiva’. Foi difícil, mas acho que conseguimos. É um pouco lenta, mas tem um grande riff. Foi complicada”, explica Brian Johnson, conforme transcrito pelo NME.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O frontman comenta, ainda, que a ideia era fazer com que todo o disco fosse um “bom registro de rock em memória de Bon”. “Porém, sem todo o exagero, sem todas as m*rdas que geralmente acompanham isso. Eles queriam que esse álbum fosse preto e eu preenchi isso com frases como ‘sete vidas, olhos de gato’ (em referência a um verso da faixa ‘Back in Black’) porque Bon viveu no limite por um bom tempo e ele sempre conseguiu”, disse.

Em outro trecho, o saudoso Malcolm Young, falecido em 2017, declarou que a música “Back in Black” é “completamente diferente de tudo que veio antes no rock”. “Ela é quase funky em sua natureza. É como se tivesse uma vibe de soul music”, pontuou.

Veja:

youtube player

Inscreva-se no Whiplash.Net no YouTube

Ouça a música “Back in Black”:

youtube player

NICKELBACK LANÇARÁ “ALL THE RIGHT REASONS: 15TH ANNIVERSARY EXPANDED EDITION” COM LADOS B E GRAVAÇÕES AO VIVO

“All The Right Reasons: 15th Anniversary Expanded Edition”, do Nickelback, será lançado em box de dois CDs no dia 2 de outubro e também estará disponível digitalmente em todas as plataformas de streaming. A coleção apresenta uma versão remasterizada do álbum original de 2005, uma seleção de lados B e uma gravação de um show realizado em 2006.

“All The Right Reasons” liderou as paradas no Canadá, EUA, Reino Unido, Alemanha, Austrália e Nova Zelândia. Até o momento, já vendeu mais de 19 milhões de cópias em todo o mundo e ganhou disco de diamante pela RIAA. O disco produziu sete singles, incluindo cinco hits do Top 20: “Photograph”, “Savin ‘Me”, “Far Away”, “Rockstar” e “If Everyone Cared”.

Confira o tracklist:

01. Follow You Home
02. Fight For All The Wrong Reasons
03. Photograph
04. Animals
05. Savin’ Me
06. Far Away
07. Next Contestant
08. Side Of A Bullet
09. If Everyone Cared
10. Someone That You’re With
11. Rockstar
12. We Will Rock You
13. Photograph (Acoustic)
14. Too Bad (Acoustic)
15. Someday (Live Acoustic)

Disc Two: Live at Buffalo Chip, Sturgis, SD (August 8, 2006)

01. Intro
02. Animals
03. Woke Up This Morning
04. Photograph
05. Because Of You
06. Far Away
07. Never Again
08. Savin’ Me
09. Someday
10. Side Of A Bullet
11. How You Remind Me
12. Too Bad
13. Figured You Out

Fonte: Blabbermouth

ROLLING STONES ANUNCIA O LANÇAMENTO DE “STEEL WHEELS LIVE”

O Rolling Stones anuncia o lançamento de “Steel Wheels Live”, um show inédito de 1989 realizado em Atlantic City, Nova Jersey (EUA), onde a banda teve a companhia de uma série de convidados como Eric Clapton, Axl Rose, Izzy Stradlin e John Lee Hooker. O lançamento acontece no próximo dia 25 de setembro pela Eagle Rock Entertainment.

Juntamente com o lançamento em DVD, Blu-ray e CD, também foi anunciada uma edição de quatro LPs coloridos, além de outras edições limitadas com material adicional.

Tracklist de “Steel Wheels Live”:

Intro
Start Me Up
Bitch
Sad Sad Sad
Undercover of the Night
Harlem Shuffle
Tumbling Dice
Miss You
Terrifying
Ruby Tuesday
Salt of the Earth (featuring Axl Rose & Izzy Stradlin)
Rock and a Hard Place
Mixed Emotions
Honky Tonk Women
Midnight Rambler
You Can’t Always Get What You Want
Little Red Rooster (featuring Eric Clapton)
Boogie Chillen (featuring Eric Clapton & John Lee Hooker)
Can’t Be Seen
Happy
Paint It Black
2,000 Light Years From Home
Sympathy For The Devil
Gimme Shelter
It’s Only Rock n Roll (But I Like It)
Brown Sugar
(I Can’t Get No) Satisfaction
Jumpin’ Jack Flash

Fonte: Brave Words

Charles Gavin e João Barone se juntam ao Sepultura para tocar “Ratamahatta”

Em mais uma SepulQuarta, projeto semanal do Sepultura, Andreas Kisser e Eloy Casagrande receberam nesta quarta-feira (29) dois ícones do rock brasileiro: Charles Gavin e João Barone.

Os dois bateristas trocaram uma ideia sobre o mundo da música e suas carreiras com os integrantes do Sepultura.

No entanto, o destaque ficou por conta de uma jam virtual na qual, os caras tocaram a música “Ratamahatta” do álbum Roots.

Confira essa incrível performance com três bateristas no player abaixo:

NOVO ÁLBUM DE INÉDITAS DO AC/DC FOI ADIADO DEVIDO AO CORONAVÍRUS

Os fãs que estavam esperando ansiosamente por material inédito do AC/DC terão que esperar um pouco mais. De acordo com Dee Snider, vocalista do Twisted Siter, o novo álbum de estúdio da banda australiana foi adiado devido à pandemia de COVID-19.

Conforme publicado pela Blabbermouth, o novo registro de inéditas do grupo já está em processo de gravação. “Muito já foi gravado, porém teve de ser adiado devido à pandemia“, publicaram.

Os rumores se iniciaram quando, em janeiro desse ano, a mídia australiana publicou que o retorno do AC/DC poderia acontecer ainda no primeiro trimestre de 2020, acompanhada de uma turnê mundial que seria anunciada meses após o lançamento.

“Minha fonte diz que o novo álbum deve chegar entre fevereiro de março e a turnê deve acontecer na Austrália em outubro e novembro de 2020”., disse o radialista Eddie McGuire na época.

Mesmo após o coronavírus forçar a banda a mudar de planos, alguns projetos saíram do forno durante a pandemia, como o documentário em comemoração aos 40 anos do clássico “Back In Black”, sétimo disco da banda que vendeu mais de 50 milhões de cópias mundialmente.

Armored Dawn: Fernando Quesada é o novo baixista da banda

Armored Dawn segue conquistando seu espaço no mercado da música mundial, criando uma base de fãs sólida por onde passa e consolidando-se entre os grandes nomes do metal brasileiro na atualidade.

Marcando uma nova etapa na evolução do grupo, o renomado músico Fernando Quesada com passagem pelas bandas Shaman, Noturnall, além de diversos projetos internacionais assume as cordas graves da banda.

“Tive o prazer de participar da composição da música ‘Ragnarok’ e a partir daí os nossos caminhos começaram a ficar mais próximos. Depois disso, cada vez mais começamos a entender que a gente estava num caminho muito próximo e que faria todo sentido eu assumir o baixo no momento atual da banda. Me sinto muito honrado” explica Quesada.

Com diversas influências na bagagem e a experiência de shows e festivais internacionais com músicos de alto gabarito,  Quesada pretende trazer toda sua versatilidade para o momento atual da Armored Dawn.

Assista o vídeo e veja Quesada em ação em trechos de músicas da banda.

GREEN DAY, PEARL JAM, MICK JAGGER E MAIS ASSINAM CARTA SOBRE O USO DE MÚSICAS POR POLÍTICOS

Nesta terça-feira, dia 28, diversos artistas assinaram uma carta aberta, em nome da Artistas Rights Alliance – ARA (Aliança dos Direitos dos Artistas, em tradução livre), exigindo políticas mais transparentes em relação ao uso de músicas em comícios e propagandas eleitorais. Entre os principais nomes que constam na lista estão Green Day, Linkin Park, Mick Jagger, Keith Richards, Alanis Morissette, Lorde, Pearl Jam, Panic! At The Disco, entre outros.

A exigência é de que as campanhas dos candidatos procurem pelo consentimento dos artistas, compositores e donos de direitos autorais antes de usarem a música publicamente em nome de qualquer partido ou político.

Junto com a carta, a ARA explica também: “Nós temos visto muitos artistas sendo arrastados para a política contra a vontade deles e são forçados a tomarem atitudes agressivas para proibir o uso da música – geralmente de músicas que são transmitidas durante comícios políticos ou propagandas de campanha. Isso pode confundir e decepcionar fãs e até mesmo destruir o ganho de um artista a longo prazo – e principalmente: isto não é certo. Políticos que desejam representar o povo devem fazer melhor, procurando o consentimento antes de explorar a imagem e o trabalho de um artista ou compositor”.

Na carta em si, ainda é falado que este não é um problema novo e sim algo que acontece em todos os ciclos eleitorais, deixando artistas e compositores frustrados ao descobrirem que o trabalho deles estão sendo utilizados sem consentimento ou apoio.

“Ainda mais importante, implicar um falso apoio ou patrocínio de um artista ou compositor é desonesto e imoral. Isso acaba com o processo da campanha, confunde o público votante e, por fim, distorce as eleições”, continua a carta. “Como todos os cidadãos, artistas possuem o direito fundamental de controle de seu trabalho e de fazer escolhas livres em relação à expressão e participação política. Usar o trabalho deles para propósitos políticos sem o prévio consentimento viola esses direitos – uma invasão dos interesses pessoais mais consagrados e sagrados”.

A carta na íntegra (em inglês), assim como os nomes de todos os artistas e bandas que a assinaram podem ser vistas neste link. Recentemente, públicos sobre alguns artistas que reclamaram do uso das próprias músicas pelo governo Trump, como Panic! At The Disco, Linkin Park e Matt Sorum, ex-Guns N’ Roses.

title_goes_here