Dave Grohl: Fiquei com medo de escrever sobre a morte de Kurt Cobain

O livro "The Storyteller - Tales Of Life And Music" ainda não tem previsão de lançamento em português

Dave Grohl: Fiquei com medo de escrever sobre a morte de Kurt Cobain

Em uma nova entrevista, Dave Grohl disse que o capítulo sobre o suicídio do vocalista do Nirvana Kurt Cobain em 1994 em seu recém-lançado livro de memórias The Storyteller: Tales Of Life And Music foi a parte mais difícil de escrever. Perguntado por que ele escolheu escrever esse capítulo por último, Grohl disse: "Porque eu estava com medo de escrevê-lo. Uma coisa é escrever sobre levar pontos quando você tem 12 anos, sobre levar seus filhos para a dança, outra coisa é escrever sobre algo que você mal falou com pessoas próximas a você. Eu revelei algumas coisas nessa história que nunca contei aos meus amigos mais próximos. Eu estava com medo de escrevê-lo".

"Em primeiro lugar, eu sabia o que as pessoas queriam que eu escrevesse", continuou ele. "Eu acho que as pessoas têm um monte de perguntas sem resposta - assim como eu. Então eu decidi escrever em um sentido emocional muito mais amplo - o processo de perda e luto, e como isso é determinado e como ele difere de pessoa para pessoa. Sim, foi difícil escrever".

Dave também lembrou como um encontro casual na Irlanda lhe deu a motivação para recomeçar sua vida e formar o Foo Fighters nos meses seguintes à morte de Cobain.

"Depois que Kurt morreu e o Nirvana acabou, nossos mundos foram virados de cabeça para baixo", disse ele. "Eu não sei se alguém sabia como continuar ou o que fazer a seguir. Eu pessoalmente não tinha nenhum interesse em música. Guardei meus instrumentos. Foi difícil para mim ouvir rádio, algo que eu sempre fazia. E depois de alguns meses, decidi fazer uma viagem para o meio do nada. Eu só queria ficar longe de tudo e de todos. Então fui para um dos meus lugares favoritos - Ring of Kerry, na Irlanda, que eu já havia visitado. E é totalmente remoto; não há nada lá. São apenas estradas rurais e belas paisagens. E eu estava lá dirigindo por uma estrada rural e vi um caroneiro à distância e pensei: 'Bem, talvez eu o pegue.' E quando me aproximei cada vez mais, notei que ele estava com uma camiseta do Kurt Cobain. Então, mesmo no meio do nada, eu tinha o Kurt meio que olhando por mim. E foi aí que percebi: 'Não posso fugir disso, eu tenho que ir para casa'. Eu tenho que colocar os instrumentos de volta no meu colo e continuar tocando música porque ela já salvou minha vida, e eu acho que isso pode acontecer novamente. E fui para casa e comecei o Foo Fighters."

The Storyteller - Tales Of Life And Music foi lançado em 5 de outubro na Europa e Estados Unidos. No livro, Grohl compartilha como era crescer com grandes sonhos em Springfield, Virgínia, e como ele viveu esses sonhos fazendo música no cenário mundial. O livro apresenta piadas sobre David Bowie, Joan Jett, Iggy Pop e Paul McCartney, bem como histórias sobre a época em que ele tocou bateria para Tom Petty, sua "swing dance" com o AC/DC, e se apresentar na Casa Branca.

Sobre como ele escolheu o que incluir no livro, ele disse: "Eu poderia escrever um livro inteiro sobre a banda Scream. Eu poderia escrever um livro inteiro sobre o meu tempo no Nirvana. A ideia era escolher as histórias que melhor descreviam como é estar atrás da cortina e no interior da música, do banquinho da bateria olhando para fora. Tocar música, ter essa linda família, viajar pelo mundo, conhecer pessoas de todas as esferas da vida, eu nunca tive nada disso como certo, garantido. Pode acreditar."