O vocalista Ian Gillan revelou, em entrevista a Greg Prato, do Songfacts, que não se cansa de cantar a música “Smoke on the Water”, do Deep Purple. E há um motivo para isso.

“Smoke on the Water” se tornou, de forma inegável, um grande clássico do rock. Todavia, vários fãs e até mesmo músicos dizem que já enjoaram de ouvir a canção e até brincam que toda banda iniciante faz um cover dessa faixa.

A letra conta a real história de quando o Deep Purple estava em um cassino em Montreux, na Suíça, assistindo a um show do Frank Zappa com o The Mothers of Invention. Durante um solo de sintetizador, um fã atirou um sinalizador no teto, o que fez o local pegar fogo.

“Tentamos recriar nessa letra toda aquela atmosfera da melhor forma que conseguimos. Quando fizemos a letra, pois estávamos com pouco material, achávamos que essa música seria apenas para ‘encher’ o álbum (‘Machine Head’, de 1972). Foi feita no último minuto. O riff e a backing track foram feitas no primeiro dia como uma passagem de som, sem letras”, disse Gillan, inicialmente.

youtube player

O cantor pontua que o engenheiro de som disse ao Deep Purple, um dia, que faltava bastante tempo para fechar a duração do disco “Machine Head”. Foi aí que nasceu “Smoke on the Water”. “Roger (Glover, baixista) e eu fizemos uma letra biográfica sobre a ocasião em que fizemos o álbum. Foi assim que aconteceu. Não tocou nas rádios por um ano porque era longa demais. Só mudou quando um cara da gravadora Warner nos viu em um show e conferiu a reação da plateia. Ele fez uma edição de 3 minutos e meio e tocou na rádio pela primeira vez, um ano depois do álbum sair”, afirmou.

Como a letra de “Smoke on the Water” trata de uma história real, Ian Gillan não se cansa de apresentar a música com o Deep Purple porque “como toda canção com uma narrativa, você é levado para aquele lugar”. “É fantástico, amo cantar essa música. Tem muito groove. E o mais importante: todos na plateia se envolvem, sabem cada palavra e cada batida. É uma experiência compartilhada, como uma euforia congregacional. Fantástico, eu amo isso”, disse.

Gillan concluiu que não enjoa de nenhuma música do Deep Purple. “Amo todas elas. Não tenho problema em cantar todas elas todos os dias”, pontuou.

Fonte: Wiplash | Autor: Igor Miranda