Ennio Morricone, um dos mais celebrados compositores de trilhas sonoras da história do cinema, morreu nesta segunda-feira (6), aos 91 anos, na Itália. O artista faleceu após complicações causadas por um acidente doméstico – ele sofreu uma queda em casa e fraturou o fêmur.

Ao longo de sua carreira, Morricone criou trilhas sonoras para mais de 500 filmes e programas de TV. Era conhecido, especialmente, por seu trabalho em longas do chamado “spaghetti western”, gênero na pegada velho oeste, mas ao estilo italiano.

Entre algumas de suas trilhas mais celebradas, estão os trabalhos nos filmes “Il buono, il brutto, il cattivo” (“Três Homens em Conflito” / “The Good, the Bad and the Ugly”), “Per un pugno di dollari” (“Por um Punhado de Dólares”) e ” Per qualche dollaro in più” (“Por Uns Dólares a Mais”). Todos os longas mencionadas têm direção de Sergio Leone e trazem Clint Eastwood como protagonista.

As produções musicais de Ennio Morricone influenciaram não apenas o segmento erudito, como, também, artistas de música popular. Entre alguns dos mais célebres a mencionarem Morricone como inspiração ou mesmo utilizar composições dele, estão Metallica, Muse, Ramones, Bruce Springsteen, Dire Straits, Roger Waters e Radiohead, entre outros.

O Metallica, especificamente, tem uma associação de longa data com Morricone por utilizar a composição “The Ecstasy of Gold”, presente em “Il buono, il brutto, il cattivo”, na abertura de seus shows desde 1983. A banda chegou a regravá-la, em estúdio, para o tributo “We All Love Ennio Morricone”, lançado em 2007. O Ramones também a usava em suas apresentações, mas no encerramento.