GP do México de Fórmula 1

Saiba todos os detalhes sobre a pista do próximo GP

GP do México de Fórmula 1

Por: Auto Racing

A F1 retorna ao Autódromo Hermanos Rodriguez na Cidade do México novamente depois de ter ficado fora em 2020 devido à pandemia com COVID-19. O circuito de 4,304 km foi fortemente revisto para sua re-estreia em 2015 e está bem diferente daquele em 1992, mas permanece em seu local original no Parque Magdalena Mixhuca e mantém o seu nome, em memória aos irmãos Rodriguez.

Tamanho da pista    4,304 km
Número de voltas    71
Corrida total    305,354 km
Recorde da volta (corrida)    1’18.785 (Sebastian Vettel em 2017)
Volta mais rápida (classificação)    1’16.488 (Sebastian Vettel em 2017)
Velocidade máxima     362 kph
Aceleração plena    45%
Consumo de pneu    Médio
Consumo de freio    Médio
Nível de downforce    Médio
Troca de marchas por volta    44
Consumo por volta    1,35 kg
Perda no pit lane    25 segundos (mais longa da temporada)
Distância para a curva 1    800 metros (mais longa da temporada)
Pneus para 2021    Duro (C2), Médio (C3) e Macio (C4)
Zonas de DRS    2, reta do box e reta entre as curvas 3 e 4
Melhor tempo no TL1 em 2019    1’17.327 – Lewis Hamilton
Melhor tempo no TL2 em 2019    1’16.607 – Sebastian Vettel
Melhor tempo no TL3 em 2019    1’16.145- Charles Leclerc
Pole em 2019    1’15.024 – Charles Leclerc
Vencedor em 2019    1:36’48.904 – Lewis Hamilton

O layout é composto por sete curvas à esquerda e 10 à direita, mas a a reta do box de 1,314 km tem talvez a maior influência no acerto de carro. Para alcançar uma velocidade máxima prevista de 362 kph , os carros terão que maximizar um delicado equilíbrio entre pressão aerodinâmica e arrasto, e ainda com o complicador da elevada altitude, que torna o ar bastante rarefeito e prejudica o funcionamento do turbo.

Situado a 2.200 metros de altitude, o Autódromo está consideravelmente no lugar mais alto do que qualquer outra pista de F1. Com apenas 78% do oxigênio disponível ao nível do mar, isso altera as características do carro, a aerodinâmica e o desempenho da UP. O turbo tem que girar mais rápido para compensar a falta de oxigênio que entra no motor de combustão interna e o ar mais rarefeito significa menos geração de pressão aerodinâmica com qualquer nível de asa, além de problemas no resfriamento dos freios e do próprio turbo. Essa altitude torna o circuito tão único que a maioria dos carros são acertados com o mesmo downforce de Mônaco, mas alcançam velocidades de Monza nas retas.

A Red Bull aparece como favorita para vencer, já que seus carros lidam melhor tanto com o problema da aero quanto o da turbina. Max Verstappen venceu em 2017 e 2018. Em 2019 ele fez a pole, mas a perdeu e largou em P4 por punição de grid. De qualquer maneira, nunca se pode descartar a Mercedes, que já deu mostras que pode surpreender quando menos se espera.

Últimos resultados no México

Vitórias    
2019    Lewis Hamilton
2018    Max Verstappen
2017    Max Verstappen
2016    Lewis Hamilton
2015    Nico Rosberg
1992    Nigel Mansell
1991    Riccardo Patrese
1990    Alain Prost
1989    Ayrton Senna
Poles    
2019    Charles Leclerc
2018    Daniel Ricciardo
2017    Sebastian Vettel
2016    Lewis Hamilton
2015    Nico Rosberg
1992    Nigel Mansell
1991    Riccardo Patrese
1990    Gerhard Berger
1989    Ayrton Senna

Previsão do tempo para a Cidade do México
Sexta-feira
Mínima de 7º e máxima de 23º
Parcialmente nublado, 6% de possibilidade de chuva
Sábado
Mínima de 8º e máxima de 22º
Parcialmente nublado, 5% de possibilidade de chuva
Domingo
Mínima de83º e máxima de 23º
Parcialmente nublado, 5% de possibilidade de chuva

GP do México de Fórmula 1 2021 – Preview Autoracing