Iron Maiden: Os álbuns humilhados que serão exaltados

As crônicas dos anos 2000 da Donzela de Ferro

Iron Maiden: Os álbuns humilhados que serão exaltados

Não é segredo que Iron Maiden é uma das bandas do metal mundial que gera mais paixão pelo mundo. De maneira muito similar ao futebol, essa paixão geralmente pode se converter em críticas, frustração e até saudosismo excessivo. 
É muito para os seres humanos sentir mais saudades de como nós éramos em determinado período da banda do que da banda em si. Razão pela qual sempre passamos por aquela frase famosa “no meu tempo era muito melhor”. 
Por essa razão, a grande fase dourada do Iron Maiden, segundo 90% do grupo de fãs mais antigos, certamente foi a primeira, que vai de 1980 a 1990. Consequentemente, a partir desta década há bastante contestação, culminada pelo recente lançamento de SENJUTSU 17º álbum de estúdio dos caras. 
Meu papel aqui não é contestar nada isso. Boa parte do que gosto, mesmo não sendo contemporâneo de alguns destes álbuns, são os que mais gosto também. Mas trago aqui algumas sugestões que na minha visão são muito subestimadas, dado o “abandono” deste grupo de fãs. Algumas das minhas canções favoritas estão nestes álbuns. 
Hoje, trago 2 álbuns, dos mais rejeitados pelos fãs mais radicais, com recomendações de boas faixas para abrir a mente:

●    DANCE OF DEATH:


○    Álbum lançado em 2003 que tem na sua capa o seu pior momento. Musicalmente, ele traz os elementos do Prog. bem iniciais, pós Brave New World (talvez o álbum que ainda gerou bom feedback dos fãs mais antigos) e ótimas canções como NO MORE LIES, RAINMAKER, WILDEST DREAMS e PASCHENDALE. 

●    THE FINAL FRONTIER:


○    Álbum lançado em 2010, tem uma capa das que mais gosto. Moderno e Denso, oferece um som consistente na minha visão em sua maioria e só precisa de mais boa vontade. Boas canções são EL DORADO, SATELLITE 15… THE FINAL FRONTIER, MOTHER OF MERCY, WHEN THE WILD WIND BLOWS e THE ALCHEMIST

Dê uma chance ao Iron Maiden dos Anos 2000, siga a gente e fique sempre de olho no rock de verdade.

SERGIO SABINO - @sabinorock79