Matrix 4 finalmente ganha um título – e um primeiro trailer (mais ou menos)

Após anos de especulação, Matrix 4 finalmente tem um título oficial: The Matrix Resurrections

Matrix 4 finalmente ganha um título – e um primeiro trailer (mais ou menos)

Após anos de especulação, Matrix 4 finalmente tem um título oficial: a quarta parte da icônica franquia se chamará The Matrix Resurrections, um nome que já havia sido especulado anteriormente.

A Warner Bros. fez o anúncio no CinemaCon, evento voltado para expositores, onde também exibiu um primeiro trailer do filme. Está programado para ser lançado simultaneamente nos cinemas e na HBO Max em 22 de dezembro.

Infelizmente, o trailer em si ainda não foi tornado público, mas os presentes escreveram detalhes do que viram para nos dar o primeiro vislumbre real da premissa de Matrix Resurrections.

Antes da apresentação do estúdio, as únicas informações concretas em torno do quarto filme de Matrix eram relacionadas aos anúncios do elenco e o entusiasmo de Keanu Reeves por seu "belo roteiro e história maravilhosa".

Laurence Fishburne não aparecerá, mas Carrie-Anne Moss vai se juntar ao retorno de Reeves como Trinity. Também sabemos que a co-diretora original Lana Wachowski está liderando o projeto.

Além disso, porém, sabíamos pouco sobre o enredo do filme, ou mesmo como Neo e Trinity voltariam dos mortos após os eventos de Matrix Revolutions. Obviamente, dado o título agora confirmado do filme, pelo menos um ou ambos serão 'ressuscitados' – embora este primeiro trailer não pareça dar muito.

O The Hollywood Reporter descreve uma cena de abertura que vê Thomas Anderson (Reeves) em terapia dizendo ao seu terapeuta (Neil Patrick Harris), "Eu tinha sonhos que não eram apenas sonhos. Estou louco? Ele sente que algo não está certo com o mundo, mas ele não tem memória do que a Matrix é".

Mais tarde, de acordo com o THR, ele encontra uma mulher (Moss) em uma cafeteria. Eles apertam as mãos, e parece haver algo entre eles, mas nenhum deles se lembra do outro. Enquanto isso, Thomas Reeves passa seus dias tomando pílulas azuis prescritas, e se perguntando por que todos em seu mundo estão colados em seus telefones - olhando ao redor e percebendo que ele é o único em um elevador lotado não olhando para um dispositivo.

Eventualmente, Thomas reeves encontra um homem (Yahya Abdul-Mateen II) que tem uma energia semelhante a Morpheus, o lutador da liberdade interpretado por Laurence Fishburne na trilogia original. Este homem misterioso dá a Anderson uma pílula vermelha, e então vemos imagens dele com poderes, vendo a matrix como a falsa realidade que é. O THR diz que o trailer seguiu algumas batidas semelhantes do original, incluindo Neo (Reeves) lutando contra o personagem de Abdul-Mateen em um dojo, e uma imagem de Anderson em uma incubadora.

Há também uma foto de Neo olhando no espelho e vendo uma versão mais antiga de si mesmo. Neo também parece ter alguns novos poderes além dos da última vez, com o trailer incluindo uma foto do que parece ele controlando um míssil através da telecinese para evitar que ele o atinja.

Aqueles poucos sortudos que viram a filmagem em ação elogiaram-na como "impressionante" e "extremamente impressionante", embora alguns tenham falado sobre a óbvia ausência dos outros personagens principais do filme.

De qualquer forma, o trailer do CinemaCon deve estar on-line em 25 de agosto, então não teremos muito tempo para esperar até que possamos ver Neo e companhia em ação.

Por que A Matrix está sendo ressuscitada?

É seguro dizer que o apetite por outro filme de Matrix após Matrix Revolutions de 2003 é muito grande, especialmente porque essa entrada na franquia marcou o terceiro em apenas quatro anos.

Para muitos, Revolutions também foi o pior dos três filmes, tanto criticamente quanto financeiramente, então não parecia provável que a Warner Bros. optasse por reviver o outrora popular franquia logo após seu lançamento.

Dito isto, já se passaram 18 anos desde o último filme de Matrix, e dada a recente tendência de Hollywood de refazer propriedades bem desgastadas (Indiana Jones 5, Tartarugas Ninjas e assim por diante), não foi uma surpresa ver a Warner Bros. dar a Wachowski a luz verde para levar o público de volta ao mundo simulado de Matrix.

Além disso, seus temas - inteligência artificial enlouquecendo, controle corporativo, rejeição do pensamento em grupo - são talvez mais pertinentes hoje do que nunca, então esperem que tanto os críticos quanto os cinéfilos coloquem em discussão as questões existenciais de livre arbítrio e as posições de poder.

As cenas de luta também devem ser bem legais - o diretor de John Wick, Chad Stahelski, que interpretou o dublê de Reeves nos filmes originais, foi quem desenvolveu esse trabalho no set do filme. Aguardemos!