Medina critica COB por negar credencial a Yasmin Brunet em Tóquio

'Estão dificultando', disse o surfista.

Medina critica COB por negar credencial a Yasmin Brunet em Tóquio
Imagem: Reprodução/Instagram

O surfista Gabriel Medina, uma das principais apostas de medalha do Brasil nas Olimpíadas, criticou o COB (Comitê Olímpico do Brasil) por vetar a sua esposa Yasmin Brunet na ida para para Tóquio, onde serão disputados os Jogos Olímpicos.

Em entrevista à CNN Brasil, o bicampeão mundial disse que solicitou a ida da mulher com ele ao Japão, mas teve o pedido negado. Gabriel explicou que cada surfista pode levar duas pessoas em sua comissão técnica, mas, segudo o COB, sua esposa não tem nenhuma ligação com o surfe. Sem credencial, Yasmin não pode viajar ao Japão nem para torcer.

"Tenho conversado bastante com o COB. A gente pode levar para o Japão duas pessoas dentro da comissão, e cada atleta está levando o seu pessoal. O Ítalo (Ferreira, também surfista) está levando um amigo que o ajuda, e comigo estão dificultando. Minha vida mudou, eu tinha outro coaching, outra estrutura, duas pessoas que não trabalham mais comigo, e não me deram a confirmação se vou poder levar meu atual coaching", disse Medina à emissora 

Em nota, o COB informou que "a limitação de credenciais para oficiais segue as diretrizes do comitê organizador, que ficaram ainda mais restritivas com intuito de proteger a saúde dos atletas por conta da pandemia". A organização explicou que "o credenciado tem que ser um profissional que tenha ligação com a modalidade". 

O comitê acrescentou que, devido à pandemia, teve que suspender programa "Familiares e Amigos", pelo qual o comitê daria todo o suporte para que os competidores pudessem receber as pessoas mais próximas na cidade sede dos Jogos.

"O Japão impôs diversas restrições a todos os países participantes, impedindo inclusive a entrada de familiares, amigos, fãs e turistas no país durante o período dos Jogos, que também devem ocorrer sem público. Em maio, COB e Gabriel Medina acordaram que o treinador Andy King seria oficial credenciado para atuar como treinador do atleta nos Jogos Olímpicos de Tóquio. O COB não faz distinção entre os atletas", concluiu a nota.

Além de Gabriel Medina, os surfistas Italo Ferreira, Silvana Lima e Tatiana Weston-Webb também irão representar o Brasil em Tóquio. Esta será a estreia do surfe nos Jogos Olímpicos.