Nas 24 Horas de Le Mans - Toyota e Ferrari são os grandes vitoriosos

Chuva, problemas na largada e com combustível não foram suficientes para atrapalhar a Toyota

Nas 24 Horas de Le Mans - Toyota e Ferrari são os grandes vitoriosos

A Toyota Gazoo Racing começou a nova era nas 24 Horas de Le Mans da mesma forma que fechou a antiga - com uma vitória geral e de primeira classe.

O Toyota GR010 Hybrid nº 7 de Mike Conway, Kamui Kobayashi e Jose Maria Lopez conquistou a primeira vitória de Le Mans na nova classe Hypercar, completando 371 voltas ao longo de 24 horas de corrida enquanto Kobayashi levou o carro para a bandeira quadriculada. É a tão esperada primeira vitória para o atual trio campeão mundial de Conway, Kobayashi e Lopez, que terminaram no pódio nos últimos três anos, porém sem estarem no degrau mais alto até hoje.

O Toyota nº 8 de Sébastien Buemi, Brendon Hartley e Kazuki Nakajima terminou em segundo, duas voltas atrás do GR010 vencedor, mas garantiu o RECORD do circuito (em corrida) com 3:27.607 (comandado por Hartley).

O pódio geral e hypercar é completado pelo No.48 Alpine Elf Racing Matmut A480-Gibson de Nicolas Lapierre, Andre Negrao e Matthieu Vaxiviere em terceiro, marcando um retorno bem-sucedido de primeira classe para a Alpine.

Os dois 007-LMHs da Glickenhaus Racing levaram a bandeira quadriculada em sua primeira incursão em Le Mans, com o Nº 708 (Pipo Derani/Franck Mailleux/Olivier Pla) em quarto e o nº 709 (Ryan Briscoe/Romain Dumas/Richard Westbrook) em quinto.

Não faltou o drama, como os que são sempre exclusivos do Grand Prix d'Endurance, mostrado na última volta na classe LMP2.

Com a vitória garantida, a equipe Nº 41 WRT ORECA 07-Gibson diminuiu para uma parada após a Chicane Dunlop, assim como Yifei Ye havia começado sua última volta - negando a si mesmo, Robert Kubica, e Louis Deletraz a vitória.

Isso então elevou a batalha para o segundo lugar, entre o NO. 31 WRT ORECA de Robin Frijns e o Nº 28 JOTA Sport ORECA de Tom Blomqvist, em uma batalha ainda maior para a vitória da classe.

Blomqvist pressionou o máximo que pôde até a bandeira quadriculada, mas Frijns segurou para garantir a vitória por apenas sete décimos de segundo.

Um dos pilares das corridas GT por mais de uma década, a Equipe WRT tornou-se a primeira equipe desde 2012 a vencer a classe LMP2 em sua estreia - e a primeira equipe belga a vencer em qualquer classe cortesia do trio de Frijns, Ferdinand Habsburg e Charles Milesi, e todos garantirasm suas vitórias na primeira classe em Le Mans.

Blomqvist, Sean Gelael e Stoffel Vandoorne terminaram em segundo lugar para a equipe NÚMERO 28 JOTA — e com a NO.41 WRT ORECA não completando a última volta, a No. 65 Panis Racing ORECA (Julien Canal/James Allen/Will Stevens) conquistou o terceiro lugar na LMP2.

As honras da sub-classe LMP2 Pro-Am foram para o No.21 DragonSpeed USA ORECA de Henrik Hedman, Ben Hanley, e Juan Pablo Montoya.

Pela primeira vez, os stalwarts da Ferrari AF Corse varreram ambas as classes GTE em Le Mans, conquistando sua quarta vitória no GTE Pro e, surpreendentemente, a primeira vitória do GTE Am sob a bandeira AF Corse.

Sua Ferrari 488 GTE nº 51 de James Calado, Alessandro Pier Guidi e Come Ledogar garantiram a vitória na categoria Pro — a segunda vitória do GTE Pro para Calado e Pier Guidi, e a primeira para Ledogar.

O Chevrolet Corvette C8. R terminou no pódio em sua estreia em Le Mans com o Nº 63 Corvette Racing C8. R (Antonio Garcia/Jordan Taylor/Nicky Catsburg) terminando em segundo, 41,6s atrás da vencedora AF Corse Ferrari.

O Porsche GT Team 911 RSR (Kévin Estre/Neel Jani/Michael Christensen) garantiu que os três fabricantes fossem representados no pódio em terceiro lugar.

A primeira vitória da AF Corse no GTE Am foi garantida por sua Ferrari nº 83 dirigida por François Perrodo, Nicklas Nielsen e Alessio Rovera, cada um garantindo suas vitórias na primeira classe como pilotos, com uma margem de 1m41s de vitória.

O Nº 33 TF Sport Aston Martin AMR Vantage GTE (Ben Keating/Felipe Fraga/Dylan Pereira) manteve-se em segundo na classe, à frente da Ferrari nº 80 de Iron Lynx (Matteo Cressoni/Callum Ilott/Rino Mastronardi) em terceiro.

A Associação SRT41 nº 84 ORECA, ancorada pelos pilotos paraplégicos Takuma Aoki e Nigel Bailly, auxiliados pelo co-piloto Matthieu Lahaye, levou a bandeira quadriculada em 33º no geral, completando 334 voltas.

Aoki, ex-piloto da MotoGP, levou a bandeira quadriculada assim como o fundador da SRT41, Frederic Sausset, já completou cinco anos como piloto.