Mais uma troca de treinador no brasileirão

Apesar da determinação da CBF de apenas uma troca de treinador. O Bahia já vai para sua segunda mudança. Desesperado na zona de rebaixamento, o clube deve apostar em um velho conhecido da torcida.

Mais uma troca de treinador no brasileirão
Reprodução: Gazeta Esportiva

Após a derrota por 3x1 para o Corinthians, na noite de ontem (5), o Bahia comunicou a saída do seu treinador, o argentino Diego Dabove. Ele ficou 49 dias no cargo e foram apenas seis partidas. Com apenas 23 pontos, o Bahia é o 17º colocado e abre a zona de rebaixamento.

Dabove chegou ao Brasil depois de fazer sucesso no futebol argentino, aos 48 anos, era tido como um dos principais nomes da nova geração portenha de treinadores. Mas sua única vitória aconteceu em 4 de setembro, por 4x3 sobre o Fortaleza.

O presidente do Bahia, Guilherme Bellintani afirmou em nota que o clube necessita de "uma mudança de rumos e correções" e que o momento era "para alguém que tenha profundo conhecimento do futebol brasileiro".

Nota oficial da diretoria do EC Bahia: 

O Esporte Clube Bahia comunica que Diego Dabove não é mais o treinador do Esquadrão.

"Precisamos realizar uma correção de rumos. Não era algo que a gente gostaria de fazer, lamentamos bastante a situação, mas se a gente decidiu mudar tão rápido é uma prova de que a escolha terminou se mostrando equivocada - não no sentido da qualidade do trabalho, mas do ponto de vista de conhecimento do futebol brasileiro e do contexto do clube. Fazendo um balanço do dia a dia, dos resultados e dos desafios que temos pela frente, entendemos que essa é a medida correta no momento", explica o presidente Guilherme Bellintani.

Junto com ele deixam o Tricolor os auxiliares Guillermo Formica e Walter Ribonetto, além do preparador físico Agustín Buscaglia.

Técnico Diego Dabove é demitido do Bahia após 6 jogos

O novo treinador será Guto Ferreira, velho conhecido da torcida e do clube. O paulista de Piracicaba tem 56 anos, trabalhou na base do Internacional e começou a carreira como treinador no Naval de Portugal. Em 2012, ele ganhou destaque ao fazer uma boa campanha no campeonato paulista pelo Mogi Mirim. Depois passou com sucesso na Ponte Preta, Portuguesa, Chapecoense, Sport e Ceará. No Bahia, ele vai ter sua terceira passagem. A primeira aconteceu entre 2016 e 2017, o treinador foi responsável pelo acesso do tricolor de aço à Série A. Ele deixou a equipe para treinar o Internacional. Em 2018, ele retornou para o clube baiano e conquistou uma Copa do Nordeste e um estadual pelo time.

Guto é conhecido por saber arrumar times e conhece bem a equipe do Bahia que pode ajudar o time a escapar do rebaixamento. O último trabalho dele, foi no Ceará, onde ele ficou mais de um ano e saiu do alvinegro no fim de agosto.