Phil Campbell - Old Lions Still Roar

Blues, Hard Rock e Heavy Metal. Sim, é possível ter tudo isso no mesmo álbum e com altíssima qualidade

Acontece que nem todo título de um álbum faz sentido, não é? Old Lions Still Roar faz, e muito. Para quem parar para ouvir, achando que é apenas Motörhead sem o saudoso Lemmy, esqueça. Phil Campbell irá surpreendê-lo da primeira até a última faixa, deixando claro que velhos leões rugem, e rugem alto. 

Old Lions Still Roar é essencialmente seu primeiro álbum solo, desde que Age of Absurdity, lançado em 2017 e teve a assinatura dele e de seus Bastards Sons, deixando nossos amigos gregos embasbacados na apresetação de setembro de 2018, levando uma performance ao povo, sendo celebradissíma e altamente elogiada pela mídia especializada.

O lendário guitarrista do Motorhead, em seu novo lançamento, traz à tona seu lado mais bluesy em algumas faixas, não deixando para trás inteiramente o rock 'n' roll/heavy metal rápido que tocava com seu grande amigo Lemmy.

Ele reuniu alguns de seus velhos amigos também, Dee Snider, Rob HalfordAlice Cooper, Mark King do Level 42 (um dos meus baixistas favoritos) e diversos outros amigos com todos eles provando que estão longe de uma aposentadoria compulsória; continuam trazendo o seu melhor lado no estúdio/palco. Este disco havia começado na cabeça de Campbell em algum lugar em 1999. É, de fato, um tributo a todas as grandes figuras do rock 'n' roll que já estiveram neste planeta, desde o primeiro acorde até hoje. Nada mal, especialmente para os mais velhos, ou pelo menos aqueles que gostam de um som mais antigo com um tom bluesy. Tem Heavy Metal? Sim, mas não é a estrela guia aqui.

Phil Campbell é uma das figuras mais queridas desse mundo do rock. Braço direito de Lemmy por mais de três décadas, fez mais do que o suficiente para ter conquistado a adoração e respeito de milhões de fãs de rock e metalheads, o que torna sua decisão de avançar e continuar fazendo uma grande música ainda mais admirável.

Dezoito meses depois do álbum de estreia de Phil Campbell and the Bastard Sons, The Age Of Absurdity, a velha lenda está mostrando esse outro lado aberto a experimentações, mas sem deixar de ser estrondoso em suas composições e reprodução, reforçado por um elenco de vocalistas, todos os quais estão nítidamente se divertindo. Essas coisas nem sempre produzem resultados consistentemente ótimos, mas Old Lions Still Roar é muito mais divertido do que poderíamos esperar.

Começa com a melancólica e bluesy Rocking Chair, com o compadre galês Leon Stanford (do The People The Poet), e é toda acústica, dedilhada e melancólica. Uma faixa de abertura que fará você pensar que Phil Campbell ficou um pouco mole em sua velhice, mas então o resto do álbum chega, e você quase pode ouvir Lemmy sorrindo do além.

Rob Halford traz classe e a pegada de sempre para Straight Up; o frontman Ben Ward ruge com muita fúria em Faith In Fire, facilmente identificável como algo que Tony Iommi seria o compositor e, em seguida, Alice Cooper chega na festa, soando brilhantemente esnobe e arrogante na fogosa Swing It.

Parando pra respirar um pouco depois de ouvir tantas lendas em sequência, chega aquela faixa que muitos podem considerar brega, com cara de FM dos anos 80, porém, em Left For Dead, o cantor Nev MacDonald (Kooga, Skin) nos lembra a voz fantástica que sempre teve.

Em outro lugar, Nick Oliveri (Queens of Stone Age) canaliza seu passado nos riffs da estrondosa Walk The Talk; Dee Snider mostra porque ultimamente tem valido muito mais a pena ouvi-lo cantando do que opinando sobre o que quer que seja; sua participação é um dos pontos altos, cantando These Old Boots. 

O vocalista do Ugly Kid Joe, Whitfield Crane, faz uma apresentação no quase grunge-punk Dancing Dogs (Love Survives).

Com tantos nomes pesados, Campbell está sempre brilhando, mostrando o bom gosto e uma versatilidade surpreendente, sempre a serviço da música do momento, distinto e carismático. Benji Webbe, do Skindred, chega para ser um caso a parte com a balada Dead Roses. Considerado por muitos um dos melhores vocalistas da atualidade, toma para si a música. É uma bela canção, executada com muita alma.

Finalizando Old Lions Still Roar, mais delicadeza: Tears From A Glass Eye, com Joe Satriani. Serena, de beleza acústica e muita versatilidade de seu criador. Mesmo aqueles que esperavam um encerramento mais pesado, irão agradecer o grande Phil Campbell um pouco mais depois disso.

É difícil conseguir bons álbuns solo de membros de grandes bandas, mas quando falamos sobre a experiência e paixão de Phil Campbell, então seria quase certo que o resultado não fosse apenas decente, mas muito bom. Um leão velho, ele tem ao seu lado um bando de outros leões e todos eles nos desafiam a curtir, a pensar; amar novamente. Do início ao fim, o bom e velho rock'n'roll que tanto amamos.

Tracklist:

01. Rocking Chair (feat. Leon Stanford)
02. Straight Up (feat. Rob Halford)
03. Faith In Fire (feat. Ben Ward)
04. Swing It (feat. Alice Cooper)
05. Left For Dead (feat. Nev MacDonald)
06. Walk The Talk (feat. Danko Jones & Nick Oliveri)
07. These Old Boots (feat. Dee Snider)
08. Dancing Dogs (Love Survives) (feat. Whitfield Crane)
09. Dead Roses (feat. Benji Webbe)
10. Tears From A Glass Eye (feat. Joe Satriani)

Por: Paulo Souza