Por que não há mais músicos negros de Heavy Metal? Terrance Hobbs do SUFFOCATION responde

"Eles estão fazendo coisas pesadas - não pense que eles não estão"

Por que não há mais músicos negros de Heavy Metal? Terrance Hobbs do SUFFOCATION responde

Durante uma aparição no último episódio do Landry.Audio, o guitarrista do Suffocation Terrance Hobbs discutiu a relativa falta de diversidade racial entre os músicos de heavy metal, com o gênero dominado principalmente por homens brancos. Perguntado por que ele acha que não há mais músicos negros de hard rock e heavy metal, Terrance disse: "Eu não sei. Eu acho que eles estão por aí - não pense que eles não estão. Eu só acho que muitos deles não tiveram tempo ou uma oportunidade em uma banda que as pessoas conheçam e digam, 'Ei, há um cara negro na banda.' Você olha para o velho Entombed - eles tinham um cara negro na banda. Você olha para Hirax. Howard [Jones] do Killswitch Engage. Você olha para o Cyclone Temple, outra banda de Chicago - eles tinham um cara negro. O Ocean tem um negro. Leng Tch'e tem um cara negro. Então há bandas por aí que têm negros. Jesus Piece, outra banda da Filadélfia - um cara negro na banda. Vulvodynia da África do Sul - um cara negro na banda. Então, os irmãos estão lá fora, cara. Eles estão fazendo coisas pesadas - não pense que eles não estão. Eles podem não estar jogando hóquei tanto, mas eles ainda estão lá fora".

"Eu acho que para nós do Suffocation foi apenas uma coisa estranha. Aconteceu de eu pegar num violão quando eu tinha 10 ou 11 anos, e aos 13 anos, tudo o que eu queria fazer era tocar guitarra. Então eu me tranquei num quarto e ouvia coisas que tinham guitarra; Não era dance music. E era pesado. E então, quando estávamos no ensino médio - eu e Frank [Mullen, vocal] e Mike Smith [bateria] e Doug Cerrito [guitarra] - nós tocamos no 'Battle Of The Bands', e todos nós queríamos tocar música pesada. Para nós, era apenas isso que interessava; não importava nada sobre a cor da pela ou qualquer outra coisa. Para a primeira gravadora da banda, a  Roadrunner, na época, a Nuclear Blast, fiquei feliz que eles prestaram atenção em nós mesmo que fosse assim. Porque nunca soubemos se aconteceria... Vamos assinar e eles vão olhar para nós como se estivéssemos baleados? ... Você nunca soube como as pessoas iriam receber. E tivemos muita sorte de não termos nenhum desses problemas".

Em uma entrevista para 2020 com a Loudwire, o vocalista do Sepultura, Derrick Green, disse que o tema do racismo na indústria musical pode ser difícil de entender se não é algo que afeta você diretamente. "A menos que você realmente experimente, então é difícil para você realmente imaginar que está acontecendo", disse ele. "Mas está acontecendo consistentemente. Existe em todo o mundo." O guitarrista do Bad Wolves, Doc Coyle, concordou, dizendo: "Veja, há um videoclipe do God Forbid no YouTube; olhe para os comentários e pergunte a si mesmo se há racismo no metal. Há essa ideia de que se não aconteceu com você, então ele não deve existir. Ele meio que fala dessa ideia das limitações da empatia. Você pode tentar ver o mundo através dos olhos de outra pessoa, mas você simplesmente não pode. E a verdade é que se alguém sente que essa é a sua experiência, mesmo que eu não tenha experimentado, eu tenho que passar o que representa para expressar sua experiência. Ao dizer que não existe - essa é a definição de manipulação."

O Suffocation criou o modelo para o gênero brutal death metal no início dos anos 1990. Álbuns marcantes como Effigy Of The Forgotten e Pierced From Within também inspiraram o nascimento dos gêneros tech-death e slam death metal.