Red Bull prevê dinâmicas muito diferentes nos pit stops em 2022

Em 2021 a equipe venceu pelo quarto ano consecutivo o prémio DHL Fastest Pit Stop

Red Bull prevê dinâmicas muito diferentes nos pit stops em 2022

Por: Autoracing

A Red Bull Racing continua a ser dominante nas paradas nos boxes na Fórmula 1. Pelo quarto ano consecutivo, a equipe de Max Verstappen ganhou o prémio DHL Fastest Pit Stop.

Em 2021, a Red Bull fez a parada mais rápida em treze das 22 corridas. A equipe também fez o pit stop mais veloz do ano, em 1s88 durante o GP da Hungria. De acordo com seu diretor esportivo Jonathan Wheatley, isso está no DNA da equipe.

No website da Red Bull Racing, Wheatley discutiu as paradas rápidas da equipe nos boxes: “O que procuramos é consistência”. Wheatley é responsável pelo desempenho dos pit stops, desde a seleção dos membros da equipe para cada posição da tripulação até a sua chamada quando o carro entra no pit lane.

Que a Red Bull Racing tenha ganho novamente o Prêmio DHL Fastest Pit Stop é típico desta equipe, de acordo com Wheatley. “Acho que a consistência, o desejo de sermos os mais rápidos, de sermos os melhores naquilo que fazemos, e também de sermos os mais seguros naquilo que fazemos, está na equipe: está no nosso DNA”, afirmou.

Os pit stops do próximo ano vão parecer muito diferentes com a chegada das novas rodas de 18 polegadas. Segundo Wheatley, a Fórmula 1 está entrando numa nova fase com rodas maiores e mais pesadas. “Assim, os pit stops vão ter uma dinâmica muito diferente”, disse ele.

Wheatley admite que a equipe ainda não praticou pit stops com as novas rodas, mas certamente não vai continuar assim. “A chave é obter novamente consistência nas paradas nos boxes, e é nisso que vamos trabalhar durante todo o inverno”, concluiu.
 

Red Bull prevê dinâmicas muito diferentes nos pit stops em 2022 (autoracing.com.br)