Renato Gaúcho não é mais treinador do Flamengo

O treinador não resiste a perda da Libertadores para o Palmeiras e deixa o Flamengo, depois de uma passagem frustante

Renato Gaúcho não é mais treinador do Flamengo

A diretoria de futebol do Flamengo anunciou a saída do treinador Renato Gaúcho. Ele tinha contrato com o rubro-negro até o final da temporada e já não continuaria treinando o clube em 2022, portanto a diretoria optou pela demissão agora, mesmo faltando apenas 3 jogos para terminar o ano. 

Renato foi ídolo como jogador no Flamengo e depois de quase 5 anos no Grêmio, ele chegou ao Flamengo com pompa e com a certeza que daria muito certo, trazendo o bom futebol de volta à Gávea. O começo foi animador com o rubro-negro goleando praticamente todos os clubes que enfrentava. Renato foi responsável por levar o Flamengo até a final da Libertadores, pela terceira vez na história do clube. Mas, o campeonato brasileiro fraco, sem conseguir encostar no Atlético Mineiro e a eliminação para o Athlético Paranaense na Copa do Brasil aumetou e muito a pressão para cima dele.

Outro fator que irritou a torcida e a diretoria foi a postura do treinador contra o Grêmio no jogo de terça passada. Renato sequer foi treinar o time, no CT do Grêmio na terça-feira. Durante o jogo, ele escalou os reservas e mesmo vencendo o jogo por 2x0, ele parecia abatido e não comemorou os gols do Flamengo. Renato até mesmo foi visto lamentando os gols do seu time. O jogo terminou empatado, depois que ele substitui os melhores jogadores e começou a colocar garotos e volantes. O time não tinha nenhum padrão tático. Melhor coisa da passagem dele pelo Flamengo, foi ter recuperado o futebol de Michael, que passou a ser um jogador importante. 

Ele deixa o clube depois de 37 jogos, tendo 24 vitórias, 8 empates e 5 derrotas. Nenhum título foi conquistado e nenhuma saudade na torcida. Já se especula que o Flamengo vá atrás de um grande nome para a temporada de 2022. O argentino Marcelo Gallardo, de saída do River Plate, é o favorito, mas ele tem proposta da seleção uruguaia e gostaria de trabalhar no futebol europeu. O segundo nome da lista seria o do portguês André Villas-BOas, que está desempregado desde que deixou o Olympique de Marseille, da França. Ele já trabalhou no Tottenham, Chelsea, Porto, Zenit e Shangai SIPG, da China. André já admitiu que teria interesse em trabalhar no Brasil e em 2011, chegou a aceitar um convite para treinar o São Paulo, mas como ele pediu para começar o trabalho só em 2012, o presidente são-paulino da época, recusou e trouxe Emerson Leão para comandar o clube do Morumbi.