Skate e Surf são modalidades favoritas para conquista do ouro olímpico em Tóquio

Atletas brasileiros são favoritos nas categorias.

Skate e Surf são modalidades favoritas para conquista do ouro olímpico em Tóquio
Imagem: Reprodução/Instagram

Os Jogos Olímpicos de Tóquio começam no dia 23 de julho de 2021, e nós da X-Led Sports trouxemos os atletas com melhor desempenho dentro dos esportes radicais. Vamos lá:

 

1. Pâmela Rosa

A prova do street do skate feminino pode render uma dobradinha brasileira na Olimpíada de Tóquio, talvez até uma "tripladinha". Com manobras de gala, Pamela conquistou o título mundial de skate de 2019, deixando Rayssa Leal, também brasileira, em segundo lugar.

Muito talentosa, tem sido muito regular nas provas e, em 2019, conseguiu um lugar no top 3 em praticamente todas as disputas. A briga pela medalha olímpica será com Letícia, Rayssa Leal e as atletas dos Estados Unidos e do Japão.

Desde o início da pandemia, não participou de nenhuma competição oficial.

Com 21 anos, a atleta não teve nenhuma grande lesão nos últimos anos, e está com a vaga olímpica encaminhada, já que serão vinte mulheres na categoria em Tóquio 2021. O limite é de três por país.

 

Imagem: Reprodução/Instagram 

 

2. Ítalo Ferreira

2019 foi um ano perfeito do potiguar, que terminou a temporada como campeão do Circuito Mundial, com direito a vitória na última etapa, no Havai, a mais tradicional de todas. Ainda foi o primeiro colocado no ISA Games, disputado no Japão, contra os melhores do planeta, aos moldes do que teremos na Olimpíada do ano que vem.

Mostrou-se estar muito empolgado com a Olimpíada durante o ISA Games, em agosto de 2019, que foi uma espécie de seletiva para Tóquio. Por conta de vários problemas logísticos, chegou para sua bateria faltando oito minutos para o fim, conseguiu surfar uma onda, vencer e avançar de fase. Depois, foi campeão.

 

Imagem: Reprodução/Instagram 

 

3. Rayssa Leal

Com apenas onze anos de idade, conquistou a medalha de prata no Campeonato Mundial de skate, realizado em São Paulo no ano passado. O resultado a mantém em segundo lugar no ranking mundial, o que praticamente garante a maranhense na Olimpíada.

Em junho, conquistou o título da etapa de Los Angeles do Circuito Mundial, resultado que a firma ainda mais no bolo das melhores do planeta. A categoria street é uma das mais concorridas do Brasil, são muitas atletas na briga por apenas três vagas destinadas ao país em Tóquio. Lembrando que não há um limite mínimo de idade para disputar a Olimpíada na modalidade.

Em 2019, ela venceu o Far’N High, na França, e ainda foi bronze na Street League Skateboarding (SLS), em Londres. A atleta ficou conhecida como "Fadinha do skate" por andar vestida de fada com apenas 6 anos.

 

Imagem: Reprodução/Instagram 

 

4. Gabriel Medina

Duas vezes campeão da WSL, Gabriel Medina ficou com o vice-campeonato em 2019, ao perder a final da etapa do Havaí para o compatriota Ítalo Ferreira. No Mundial da ISA, obrigatório para quem queria uma vaga olímpica e disputado no Japão, terminou em terceiro lugar.

O Brasil tem muita tradição no surfe, principalmente nos últimos anos, quando conseguiu enfileirar uma ótima sequência de vitórias e bons resultados em praticamente todas as etapas.

 

Imagem: Reprodução/Instagram 


Reprodução: Globo Esporte