Skip to Content

Blog Archives

Led Zeppelin anuncia relançamento em vinil da versão japonesa do single “Immigrant Song”

Em comemoração aos 50 anos do álbum Led Zeppelin III, a banda britânica Led Zeppelin anunciou o relançamento da versão japonesa do único single do disco, “Immigrant Song”.

A canção será lançada em vinil 7 polegadas e virá acompanhada da faixa “Hey, Hey, What Can I Do”, que não fez parte do álbum. Limitado a 19.700 cópias, o vinil vem com uma capa que reproduz a arte original e chegará no mercado no dia 15 de janeiro de 2021.

Jimmy Page, Robert Plant, John Bonham e John Paul Jones lançaram Led Zeppelin III no dia 05 de outubro de 1970. O terceiro álbum da banda ficou no topo das paradas em vários países e vendeu mais de 13 milhões de cópias em todo o mundo.

Ouça “Immigrant Song” e “Hey, Hey, What Can I Do” abaixo:

 

FONTE: ROCKBIZZ

Led Zeppelin: Jimmy Page diz qual é seu riff favorito de todos os tempos

Deve ser impossível escolher seu filho favorito e imaginamos que Jimmy Page do Led Zeppelin tenha a mesma dificuldade ao escolher sua música favorita. A enorme quantidade de sucessos maravilhosos do Led Zeppelin faz com que o produtor e guitarrista tenha um grande desafio pela frente.

Existem muitas músicas que poderiam ser colocadas aqui como algumas das melhores do Led Zeppelin, mas havia apenas uma para Page escolher. ‘Whole Lotta Love’ pode ter sido um dos riffs mais influentes de todos os tempos, algo que Page comentou dizendo: “Sentimos que o riff era viciante, como uma coisa proibida”, um caso semelhante pode ser dito para “Black Dog” também – mas não é o seu favorito final.

Ele foi questionado pela Rolling Stone em 2012 sobre qual música ele sentia que continha o maior riff do Led Zeppelin e sua resposta pode não ser o que você esperava, especialmente considerando a miríade de músicas que ele poderia ter selecionado e a grande quantidade de riffs com texturas derivadas do blues-rock, que tradicionalmente habitam as músicas.

Ele reconhece que, embora existam riffs muito melhores em algumas músicas do Zeppelin, nada disso faria sentido sem o resto da incrível contribuição da banda, que graças a sua unidade criativa, os fez chegar ao topo do sucesso. “É difícil quando perguntam, ‘Qual música mais gosta do Led Zeppelin?’ Todas. Todas tinham a intenção de estar naqueles álbuns”, explicou à Rolling Stone. Porém, o guitarrista refletiu um pouco mais sobre o questionamento e decidiu que “Kashmir”, do álbum “Physical Graffiti” (1975), também tem um riff incrível.

“Eu sabia que não era baseado apenas na guitarra. Todas as partes da guitarra estariam lá, mas a orquestra encontrou um lugar que refletiu ao longo da música e fez com que a guitarra ganhasse algo especial. Eu soube assim que ouvi”, lembra Page. John Paul Jones criou a parte orquestral da faixa com Page trabalhando em estreita colaboração com ele.

Page foi questionado também sobre como ele emitia tais sons, sua resposta foi naturalmente tímida “Riffs vêm do éter, do nada”, disse ele. “Você vai me dizer onde fica? Porque ninguém sabe.” Bem, não exatamente. “Kashmir” começou a ser escrita durante algumas sessões em “Headley Grange” no ano de 1973 por Page e o baterista de Zep, John Bonham  (Bonzo). “Foi a primeira coisa que fiz com Bonzo”, disse Page.

“Eu simplesmente sabia que [Bonham] iria adorar, e ele adorou, e nós tocamos o riff repetidamente”, recordou Page. É um dos hinos eternos da banda e um bastião do que fez do Led Zeppelin uma das maiores bandas do planeta.

 

FONTE: FAR OUT MAGAZINE

Kiss: a canção do Led Zeppelin que eles tentaram recriar, mas não deu certo

 

Led Zeppelin e Kiss são duas bandas de rock de primeiro escalão dos anos setenta, mas que raramente são associadas uma com a outra. E um dos maiores clássicos do Led, “Whole Lotta Love”, do segundo álbum da banda (1969) foi fonte de inspiração para uma tentativa de algo do mesmo nível do Kiss, que resultou em “Makin’ Love”, lançada no “Rock and Roll Over” de 1976, conforme revelou Paul Stanley no livro “Kiss Behind the Mask – The Official Authorized Biography”.

“Com frequência eu escrevia sobre a primeira coisa que viesse à cabeça, e havia ocasiões em que eu ficava com uma música na cabeça que eu gostava muito. E naquela época, meu alcance vocal era bem mais limitado do que se tornou depois. Eu sinto que se esta música fosse feita hoje soaria muito mais parecida com Led Zeppelin do que soou naquela época”.

Se ficou tão boa quanto, cabe ao ouvinte julgar, baseado nos vídeos abaixo, primeiro da canção do Kiss e depois a do Led. Mas em termos de sucesso comercial, enquanto “Makin’ Love” nem entrou no top 100 da Billboard, “Whole Lotta Love” atingiu o quarto posto no ranking.

FONTE: CHEATSHEET.COM

title_goes_here